Ricardo Mota
Ricardo Mota
« página inicial do blog
02/09/2015

Morte de Luiz Ferreira completa quatro anos sem desfecho do caso

A morte do vereador de Anadia Luiz Ferreira, também médico e professor da Universidade Federal de Alagoas, completa quatro anos nesta quinta-feira.

A polícia conseguiu desvandar o crime menos de dois meses depois da tragédia. Em 2012, o Ministério Público Estadual denunciou seis pessoas: a ex-prefeita de Anadia, Sania Tereza, o então marido dela, Alessander Leal, apontados como possíveis mandantes do crime, e mais quatro pessoas. Todos estão presos, mas ainda não há definição de quando será o julgamento.

Para marcar a passagem da data, a família de Luiz Ferreira, que seria candidato a prefeito do município em 2012, mandou celebrar uma missa, neste dia 3 de setembro, às 9h da manhã, na Igreja de São Pedro.

A viúva do médico, professora e musicista Rita Namé, está concluindo um livro sobre a trajetória dele, cujo título da já está definido: Qualquer lugar está de bom tamanho: desenrolando o novelo.

É claro, ela espera pela justiça, refazendo a vida junto à sua família e aos amigos.

Postado às 21:43, Ricardo Mota 10 comentários postado em Geral |
02/09/2015

Renan Filho decide manter Maurício Breda como presidente do Conseg

O governador Renan Filho tomou uma decisão importante e positiva – aliás, duas – em relação ao Conselho Estadual de Segurança Pública.

Depois de consultar a área jurídica, o governador decidiu que vai ampliar, por decreto, o mandato dos conselheiros atuais (os que ele pode).

Assim, o juiz Maurício Breda, que concluiu na segunda-feira o seu segundo mandato no Conseg, vai permanecer no posto.

Na avaliação do Palácio República dos Palmares, o magistrado tem dado uma grande contribuição para a Segurança Pública no estado, o que está corretíssimo.

No mesmo decreto, Renan Filho vai criar mais duas vagas de conselheiro no colegiado: uma para o Detran e outra para a Perícia Oficial.

Os dois órgãos públicos, apesar da relação direta com o tema, estavam fora do Conseg, o que será corrigido agora.

O Conselho Estadual de Segurança Pública passará de 15 para 17 integrantes.

Postado às 12:47, Ricardo Mota 19 comentários postado em Geral |
02/09/2015

Clima volta a esquentar no TC entre Anselmo Brito e Cícero Amélio

A temperatura voltou a subir no Tribunal de Contas, ontem, entre o conselheiro Anselmo Brito e o agora corregedor Cícero Amélio.

Não é a primeira vez que isso acontece, bem sabemos, mas o tom usado por Amélio (que falou em “caráter”) mostra que eles continuam “inimigos íntimos”.

Brito, ao estilo, afirmou que o caráter dele, “pelo menos em Alagoas e no TC”, é inquestionável.

Ele tem razão. Mas bem poderia ser mais cordial com os servidores do palácio de vidro da Fernandes Lima – não perderia nada como isso.

Em tempo: o presidente do TC, Otávio Lessa, ajudou a desarmar o embate verbal, apesar de que ele e Anselmo Brito não serem mais “amigos de infância”.

Postado às 12:44, Ricardo Mota 12 comentários postado em Geral |
02/09/2015

Depoimento de Renan pai à PF fecha circuito Alagoas da Lava-Jato

Discretamente, sem alarde ou a imprensa por perto, o senador Renan Calheiros foi ouvido pela PF em Brasília, na última segunda-feira.

A informação só “vazou” ontem à noite, quando foi noticiada pela mídia nacional.

Segundo o advogado do senador Renan pai, Eugênio Pacelli, um dos “papas” da área, o depoimento foi rápido e objetivo – durou uma hora e meia!

Não foi divulgado o conteúdo do depoimento.  Sabe-se apenas que diz respeito às denúncia de Paulo Roberto Costa, um dos ex-diretores da Petrobras envolvidos até o pescoço na roubalheira de que a estatal foi vítima.

Calheiros, que revelou ontem ser fã de Popozuda em citação literária,  negou qualquer participação no esquema.

A semana tem sido rica para os lava-jatáveis de Alagoas: o presidente do Senado, o iracundo Collor, e os De Lira de Alagoas – Biu e Arthur.

Todos garantem que são inocentes – e assim continuarão até que sejam julgados e condenados.

Postado às 5:06, Ricardo Mota 15 comentários postado em Geral |
01/09/2015

Caso TC: governador Renan Filho pode desmentir senador Renan pai

Não cabe mais nenhuma avaliação ingênua por parte dos integrantes do Ministério Público de Contas: a luta por uma vaga de conselheiro do TC é política – de há muito deixou de ser a “defesa da legalidade” ou assemelhado.

O governador Renan Filho não indicou um nome da relação que lhe foi entregue por Otávio Lessa – para ocupar a vaga de Luiz Eustáquio Toledo – porque não quis.

E esta é uma decisão política, “arte” que Renan Filho conhece desde o berço.

Lembrando: ele recebeu a listra tríplice do presidente do TC no dia 22 de junho. Já no dia 23, o procurador-geral do Estado, Francisco Malaquias, assinou um parecer confirmando que a vaga de Toledo I era do MP de Contas – o documento foi protocolado no Palácio República dos Palmares no dia 26 do mesmo mês.

E por que ele não fez a escolha?

Porque não quis – repito.

Lembrando Vilela

O ex-governador Teotônio Vilela Filho carrega nos ombros a acusação de ter escolhido Cícero Amélio, Rosa Albuquerque, Cleide Barbosa e Fernando Toledo para o TC.

Eis uma injustiça histórica: o único conselheiro escolhido por Vilela foi Anselmo Brito, auditor do próprio Tribunal, e que fazia parte de uma lista enviada pela corte ao governador, juntamente com outro auditor (concursado).

Os demais citados foram escolhidos, sabatinados e aprovados pelos deputados estaduais.

E com um detalhe fundamental: o tucano ainda escolheu para a vaga que ficou com Fernando Toledo, depois de decisões controversas da justiça, o procurador do MP de Contas Gustavo Santos – e o resultado já de conhecimento público.

O ex-governador, em ambos os casos, agiu com base nos pareceres da PGE.

E agora?

O que o procurador Francisco Malaquias disse e escreveu é tomado tão somente como “uma opinião”, que vale tanto quanto a do “jurista” Luiz Dantas, presidente da Assembleia.

É bem verdade que no direito o sim e o não devem ser tomados, no máximo, como talvez.

Mas se o governado quer seguir uma lógica política que o coloque no campo da “modernidade” – e não do novo-velho – que siga o caminho que talvez seja o mais árduo, mas que não descarte as expectativas de boa parte da população alagoana.

Indo mais além: que ele não desminta o senador Renan pai, que disse reiteradas vezes, durante a campanha eleitoral, que o Filho tinha todas as suas qualidades e nenhum dos seus defeitos.

Quanto à turma do MP de Contas, já está na hora de entender um pouco das regras do jogo que está sendo jogado: ele é político, e a “lei” no caso posto é a do mais forte.

Entendido?

Postado às 12:54, Ricardo Mota 10 comentários postado em Geral |
01/09/2015

De Lira Alagoas: estado confirma ser a maior bancada do país na Lava-Jato

Depois da denúncia do vetusto PGR Rodrigo Janot contra o senador Collor, agora foi a vez da família De Lira – Biu e Arthur – ser indiciada pela PF na Operação Lava-Jato.

Tudo bem: é um passo a menos – ainda – do que o foi dado em relação ao ex-presidente.

É muito mais, porém, do que aconteceu até agora em relação ao presidente do Senado, Renan Calheiros.

Com a maior bancada – proporcionalmente – na Lista de Janot, o indiciamento da PF vem a confirmar: pelo menos em algumas áreas da vida nacional, Alagoas é maior do que parece.

E haja mar!

Postado às 12:49, Ricardo Mota 12 comentários postado em Geral |

Arquivos