Ricardo Mota
Ricardo Mota
« página inicial do blog
18/07/2014

De cabeça para baixo: pais viram “escadas” dos filhos nas eleições

De pai para filho?

Foi sempre assim na política local – e nacional.

Os filhos sucediam os pais, ou serviam de “escada”, apoiando-os nas eleições proporcionais.

Só que esta eleição marca uma mudança de lugar: os pais passaram a ser os escadas dos filhos.

Fácil de entender:

- João Caldas é candidato a deputado estadual apoiando o filho JHC, que disputa uma vaga na Câmara Federal.

- Outro João, o Beltrão, também quer se manter na Assembleia, mas pretende ajudar a eleger o filho Marx Beltrão deputado federal.

- Não pensa diferente Antônio Albuquerque, candidato a reeleição e que lançou o filho Nivaldo Neto para a Câmara Federal.

- É a mesma intenção da Galba Novaes, que disputa vaga na Casa de Tavares Bastos, apoiando o filho Tales Novaes para deputado federal.

Entre os casos majoritários tem até tio, Olavo Calheiros, candidato à reeleição na Assembleia, que está fechado com o sobrinho “Renanzinho” – o Renan Filho, que busca a cadeira de Téo Vilela.

Tem Biu para governo com Arthur para deputado federal, tem Almeida para federal com o sobrinho-filho Jotinha para estadual, e até irmão servindo de escada para irmão: Dudu, estadual, apoia Fernando a federal – ambos Holanda.

Assim, os sobrenomes vão se repetindo de forma tediosa, ainda que em alguns casos haja até uma melhoria genética (para cima ou para baixo – a escolha é do freguês).

Postado às 19:58, Ricardo Mota 27 comentários postado em Geral |
18/07/2014

Campanha eleitoral ao governo caminha para “o outro é pior”

Os marqueteiros debatem permanentemente com a coordenação de cada campanha eleitoral um tema que parece decisivo para a disputa ao governo do estado: a rejeição de cada candidato.

É importante ressaltar que verificamos este ano um fenômeno diferente: a transferência de rejeição.

Ao colocar luz sobre o deputado Arthur Lira, a coligação comandada por Renan Filho – a impugnação sempre será um ato político, quando parte de um adversário – busca chamar a atenção para aquele a quem considera o seu maior adversário, hoje: Biu de Lira, pai do “rejeitado” parlamentar.

Ao se defender, o deputado federal pelo PP fala de “Renanzinho” como responsável pela ação, para, em seguida, apontar em direção ao presidente do Senado, dono de uma das maiores rejeições políticas de Alagoas (o que o levou a desistir de ser candidato ao Palácio República dos Palmares).

Não é por acaso, que Renan Filho tem circulado sozinho, ido a encontros e debates sem a presença do pai, a figura mais marcante da política alagoana – ao lado de Collor -, numa tentativa evidente de se descolar da imagem daquele que o criou para a atividade política – e que é tão criticada pelo chamado formador de opinião.

Há de se ressaltar: Biu de Lira sabe o tamanho do problema que tem em casa, que está longe de ser pequeno, mas não parece fazer um grande esforço para separar a sua própria rejeição daquele que o filho Arthur carrega.

Incógnita da eleição deste ano, Eduardo Tavares carrega como herança a rejeição de Vilela, principalmente na capital. E se tem uma vantagem relação aos adversários – nunca foi profissional da atividade política –, também ainda não criou uma identidade junto ao eleitor.

As pesquisas qualitativas estão guiando o trabalho que será mostrado no horário de propaganda eleitoral gratuita.

Mais do que buscar a simpatia do eleitor, cada um dos candidatos vai investir na rejeição dos adversários.

Na linha, digamos, sartriana: o inferno é o outro.

Postado às 12:44, Ricardo Mota 50 comentários postado em Geral |
18/07/2014

JHC pede a quebra do sigilo bancário do Tribunal de Contas

O deputado estadual JHC resolveu dar sequência ao embate com o presidente do Tribunal de Contas.

Ele revelou que antes mesmo do discurso bombástico feito pelo pai dele, deputado federal – no exercício – João Caldas, solicitou a quebra do sigilo bancário do TC.

Em que se baseou?

Segundo explicou, na mesma decisão da Justiça Federal que abriu as contas da Assembleia Legislativa: é na Caixa Econômica Federal que ele espera encontrar as informações que busca.

JHC projeta que pode abrir uma nova “caixa-preta” nas instituições publicas alagoanas, a exemplo do que conseguiu com a Casa de Tavares Bastos.

Por ser a Caixa uma instituição financeira ligada à União, ele crê que não terá dificuldades de conseguir o seu objetivo.

Lembrando: o deputado estadual teve sua candidatura à Câmara Federal impugnada junto à Justiça Eleitoral.

Pelos desdobramentos da contenda, está claro que Caldas pai e filho atribuem a iniciativa ao conselheiro Cícero Amélio.

Como vimos aqui neste blog, o presidente do TC garante que não tem qualquer envolvimento com a campanha eleitoral.

A nova investida de JHC chama os demais conselheiros para uma manifestação pública.

É aguardar.

Postado às 8:45, Ricardo Mota 33 comentários postado em Geral |
18/07/2014

MP apresenta embargo ao acordo entre prefeitura e servidores

O promotor Marcus Rômulo já adotou uma nova iniciativa para anular o acordo firmado entre a Prefeitura de Maceió e o Sindicato dos Servidores do Município, na 14ª Vara Cível da Capital.

Ele impetrou um embargo de declaração à sentença que confirmou o pagamento de R$ 54 milhões em atrasados aos servidores, por não ter sido intimado a comparecer à audiência que decidiu sobre a matéria, em dezembro do ano passado.

Rômulo questiona também os honorários que seriam pagos ao escritório do advogado Fernando Costa, titular da ação – no valor de R$ 10 milhões.

Segundo o procurador-geral do Município, Ricardo Wanderley, apesar de vir sendo feito o desconto dos adicionais – R$ 1,5 milhão/mês -, nada foi pago até agora ao escritório de advocacia: “O dinheiro está retido para que a Justiça defina quem tem direito a recebê-lo”.

Wanderley também afirmou ao blog que a prefeitura já acatou a recomendação feita pelo mesmo promotor, de suspender os pagamentos estabelecidos na sentença até que a Justiça se manifeste.

Postado às 8:40, Ricardo Mota 6 comentários postado em Geral |
17/07/2014

Tereza Collor e a candidatura ao Senado pelo PSDB

A empresária Tereza Collor esteve muito próxima de aceitar o convite para disputar o Senado Federal em dobradinha com Eduardo Tavares, o ET, candidato ao governo do Estado pelo PSDB.

Questões familiares, entretanto, impediram que ela entrasse na disputa eleitoral deste ano.

Tereza Collor já enfrenta outros embates com o senador Fernando Collor, o que já se tornou história e é conhecido do grande público, desde a época do impeachment.

Se topará mais um?

Tem gente que ainda acredita que sim.

Postado às 20:20, Ricardo Mota 19 comentários postado em Geral |
17/07/2014

João Caldas acusa Cícero Amélio e quer que a PF “acampe no TC”

 

O que o deputado federal João Caldas (SDD) dizia pelos corredores chegou ao plenário da Câmara Federal. Ele faz acusações gravíssimas contra o presidente do Tribunal de Contas, conselheiro Cícero Amélio.

O discurso, feito ontem, é de uma contundência impressionante (publico-o na íntegra. Destaco alguns pontos).

Por telefone, Amélio fez várias declarações, postada abaixo deste texto.

 

O SR. PRESIDENTE (Inocêncio Oliveira) – Concedo a palavra ao ilustre Deputado João Caldas, pelo Solidariedade de Alagoas. S.Exa. dispõe de 3 minutos na tribuna.

O SR. JOÃO CALDAS (SD-AL. Sem revisão do orador.) – Deputado Inocêncio, Sras. e Srs. Deputados, eu trago, neste instante, uma preocupação que é de vários partidos, da sociedade alagoana. Chamo a atenção do Procurador Eleitoral, do Procurador da República no TRE — Tribunal Regional Eleitoral, da Polícia Federal no Estado de Alagoas e do Superintendente Nacional da Polícia Federal, porque, Sr. Presidente, o Tribunal de Contas do Estado de Alagoas virou um comitêeleitoral.

O Presidente do Tribunal de Contas de Alagoas, figura conhecida, muito conhecida inclusive da Polícia Federal e dos agentes públicos, está usando o Tribunal de Contas descaradamente, pressionando Prefeitos, Vereadores e cooptando pela força da corrupção os Prefeitos e Vereadores, pressionando empresas e recebendo dinheiro de empresas. Nós vamos nominar as empresas, vamos nominar as Prefeituras e as Câmaras de Vereadores que têm problemas no Tribunal, chamando, pressionando. É crime eleitoral; abusam da instituição que a cada dia mais se desmoraliza, que éo Tribunal de Contas de Alagoas, salvo honrosas exceções, salvo pouquíssimas e raríssimas exceções.

Então, eu gostaria muito que a Polícia Federal de Alagoas fosse, desta tribuna, alertada para acampar dentro do Tribunal de Contas de Alagoas. E que a CGU, o Tribunal de Contas da União, os órgãos de fiscalização federal investiguem, para ver qual o conluio que há entre esses Prefeitos e essas Prefeituras que estão sendo cooptadas, quais são os crimes que eles estão praticando para estarem dentro do Tribunal de Contas.

Então, há um conluio, Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, e eu gostaria muito que o procurador fizesse essa denúncia, para que o procurador eleitoral coloque a Polícia Federal dentro do Tribunal de Contas de Alagoas, para ver as empresas que estão fazendo conluio, que estão sendo pressionadasa dar dinheiro para a campanha. Muitos que tiveram contratos com a Prefeitura, com o Estado têm um agente do Tribunal de Contas lá pressionando, pegando dinheiro para campanha.

O Presidente do Tribunal de Contas estáfazendo campanha, usando descaradamente, desavergonhadamente e impunimente o Tribunal, uma instituição que não pertence a ele, é da sociedade, uma corte de contas, para cooptar Prefeitos, corruptos iguais a ele, para fazer eleições. Esta é uma denúncia séria, gravíssima. Eu queira que a Polícia Federal, o Ministro da Justiça, o Procurador Eleitoral, as instituições e os serviços de inteligência do País entrassem no caso para que crime eleitoral e corrupção eleitoral praticados pelo Presidente do Tribunal de Contas do Estado de Alagoas não fique impune mais uma vez. Prefeitos, Presidentes de Câmara e Vereadores estão sendo pressionados. Vão lá. Se não derem 500 votos, 1000 votos ao filho do Presidente do Tribunal de Contas, o Tribunal de Contas vai lá, pega o Prefeito e o estraçalha.

Os Prefeitos estão sendo pressionados. Amarelam. Têm medo, porque lá não acontece nada. Eles fazem o que querem mesmo. Eu quero que as instituições, o Governo Federal, o Ministro da Justiça, o Superintendente da Polícia Federal em Alagoas e os departamentos de investigação da Polícia Federal investiguem os contratos. A polícia e o Ministério Público Federal têm meios, em Alagoas… (O microfone é desligado.)

O SR. JOÃO CALDAS - Concluindo, Sr. Presidente. Que também o Procurador da República apure esta denúncia, que é gravíssima. Os Prefeitos não aguentam mais a pressão. Ficam com medo, ligam para a gente e dizem: E agora? Esteve aqui o Presidente e mandou me chamar. O que eu faço?. Ficam com medo de terem contas rejeitadas, serem perseguidos. E são mesmo perseguidos em Alagoas! E não dá nada. Nunca deu, e não vai dar nada. Então, faço este alerta para que a Justiça Federal, para que o Procurador Regional Eleitoral investigue o Tribunal de Contas de Alagoas, diante dessas denúncias e desses fatos, procure os Prefeitos, os Vereadores que estão ligados a esse Presidente e vá atrás, porque tem coisa, tem corrupção pesada no meio. Trata-se do dinheiro do povo, de dignidade, de captação de sufrágio, de compra de voto, de uma instituição pressionando Prefeitos, Vereadores, empresários, fornecedores e empreiteiros. Concluindo, Sr. Presidente, para encerrar, nós vamos ficar aqui da tribuna desta Casa cobrando diariamente uma posição.

O próximo passo é uma audiência com o Ministro da Justiça, com o Presidente do Tribunal de Contas da União, com a CGU, com o Superintendente da Polícia Federal, para que as providências sejam tomadas. Acredito nas instituições, no Procurador Eleitoral em Alagoas, na Polícia Federal de Alagoas, no povo de Alagoas e neste Congresso Nacional, que não vai deixar que essas coisas aconteçam no nosso querido Estado. Chega de corrupção! Chega de pressão! Chega de malandragem desse Presidente do Tribunal de Contas, que está pressionando, assaltando as prefeituras e os empresários do Estado de Alagoas!

Postado às 12:50, Ricardo Mota 27 comentários postado em Geral |

Arquivos