Ricardo Mota
Ricardo Mota
« página inicial do blog
17/04/2014

O Chapão já pode se queixar ao bispo

Desde a semana passada, mais exatamente da última sexta-feira, o Chapão ganhou um aliado especial: o bispo de Penedo, Dom Valério Breda.

Lá da belíssima e histórica cidade ribeirinha vem a repercussão da participação do representante da Igreja Católica no encontro dos partidos que fazem oposição ao governo do Estado.

Não é um fato comum, convenhamos, um bispo participar de uma reunião partidária, ainda que ele possua o direito, como cidadão, de ter as suas preferências políticas.

Dom Valério Breda se mostrou muito à vontade – contam os penedenses – ao lado dos principais líderes do Chapão: os senadores Renan e Collor, o ex-governador Ronaldo Lessa, o ex-prefeito Cícero Almeida, presidentes de partidos, entre os quais o deputado Francisco Tenório.

O Chapão, como se vê, está mais forte do que nunca, com amplas chances de vencer as eleições em Alagoas.

E qualquer coisa que desagrade ao grupo, ao incomodar aos seus líderes, é só reclamar ao bispo.

Postado às 12:42, Ricardo Mota 1 comentário postado em Geral |
17/04/2014

José Wanderley está se preparando para a Operação Senado

O cardiologista José Wanderley Neto está em fase de preparação para aquela que pode ser a maior operação da sua vida: disputar a eleição para o Senado.

Na reunião com o senador Renan Calheiros, no último final de semana, os representantes de praticamente todos os partidos que compõem o Chapão apontaram o ex-vice-governador como o nome ideal para representá-los na disputa.

E o senador Collor?

Eis uma questão sobre a qual Calheiros evita se pronunciar em público.

Por motivos vários – até compreensíveis – o presidente do PMDB de Alagoas admite ver o ex-presidente subir no palanque do Filho.

Mas nem na família a proposta sai vencedora.

O que fazer?
Calheiros sinaliza que vai esperar pela Copa da Copas.

Este é um jogo que ele não pode perder. Difícil será montar uma chapa “padrão FIFA”.

Postado às 12:39, Ricardo Mota seja o primeiro a comentar! postado em Geral |
17/04/2014

O juiz Diógenes Tenório precisa assumir com urgência a SDS

Ainda serão necessários alguns dias para que o juiz Diógenes Tenório assuma as suas novas funções na Secretaria de Defesa Social. É o tempo da burocracia para que ele possa, formalmente, se aposentar.

Só que a vida continua e, por aqui, dura de viver.

Esta semana, o secretário interino José Maurício Maux terminou por agir de forma atabalhoada em uma manifestação. Faltou-lhe experiência, é bem verdade. Mas não só.

Em uma área tão sensível, a autoridade há de ser uma característica fundamental para quem vai comandar as duas polícias e as áreas correlatas. O interino é interino, além de não carregar qualidades específicas para o cargo.

Eis que o juiz Diógenes Tenório já deu mostra de que as possui, além da inegável autoridade que conquistou ao longo da sua atuação funcional.

Temos questões, hoje, que vão além do cotidiano de violência no estado.

O caso da invasão da residência da vereadora Heloísa Helena, a cada dia vai se mostrando estranho demais para ser um assalto (os bandidos, encapuzado, não levaram praticamente nada e ainda deixaram o filho dela ferido).

A história de Alagoas, de crimes políticos, é conhecida nacionalmente,e ainda que tenhamos avançado neste quesito, os donos da vida e da morte continuam por aí, sendo tratados como autoridades, e autoridades são.

Sem o comando central, as duas polícias atuam cada uma ao seu modo. Ainda que tenham dirigentes experientes, seguramente falta-lhes a voz de comando única.

Que se abrevie o tempo da burocracia em nome do tempo da sociedade.

Postado às 10:15, Ricardo Mota 2 comentários postado em Geral |
16/04/2014

Carimbão está próximo de ser o vice-governador do Chapão

O deputado federal Givaldo Carimbão, líder do PROS na Câmara Federal, é o nome da vez para ocupar a vaga de candidato a vice-governador pelo Chapão, liderado pelo PMDB.

Aliás, foi na semana passada, em conversa reservada em Brasília, que o senador Renan Calheiros – principal líder do grupo – convenceu o deputado federal prosista a ingressar no Chapão de mala e cuia.

O ex-integrante do PSB já tinha ligações com Calheiros em função, principalmente, da divisão do bolo do governo federal em Alagoas. O presidente do Senado, ressalte-se, sempre manteve a parte que cabe a Carimbão, apesar das pressões de outras legendas.

Em reunião na casa de Calheiros, no último sábado, também foi apontado o nome de Luciano Barbosa para vice de Renan Filho, a quem o senador escolheu como o candidato do Chapão ao governo.

Mas avaliou-se – considerando que tudo é mutante nessa área – que Carimbão agregaria mais, principalmente pelas suas ligações com alguns setores da igreja católica (ele possui até uma igreja itinerante) e por levar para os braços de Calheiros mais uma legenda – somando tempo de televisão.

Atualmente, o deputado federal do PROS comanda uma secretaria do governo Vilela: a da Paz (do Carimbão).

E pelo andar da carruagem, ele não deve entregar a pasta a Vilela e, por sua vez, o governador também não deve pedir que ele abra mão de comandar a “paz” em Alagoas.

Postado às 12:47, Ricardo Mota 27 comentários postado em Geral |
16/04/2014

PRTB só admite que Almeida e Albuquerque disputem vaga de federal

 

O PRTB realizou mais uma reunião interna, ontem, para tentar definir de uma vez por todas o que considera a sua prioridade nacional: formar uma bancada no Congresso Nacional.

O problema é que os nomes para a disputa às vagas na Câmara Federal não têm muita convicção de que este é o melhor caminho (estou falando dos candidatos com peso eleitoral).

Mesmo entre os partidos aliados ao PRTB e que também compõem o Chapão – PMDB e PT do B, principalmente – trabalham com a possibilidade de Cícero Almeida e Antônio Albuquerque disputarem vagas na Assembleia Legislativa – é a conversa dominante entre eles.

Na reunião de ontem ficou mais ou menos definido que os dois vão tentar ir para Brasília.

O partido já tem uma lista de candidatos fortes à Assembleia, à frente o deputado João Beltrão – um dos nomes mais ligados ao senador Renan Calheiros -, além de Cícero Ferro de Jairzinho Lira.

Se Almeida e AA descerem, o partido pode ser o novo PMN da época de Celso Luis e Chico Tenório (que ficou sozinho).

Mas a ordem da direção nacional é: se não forem candidatos a federal, Almeida e Albuquerque ficarão sem legenda para esta eleição.

(Duvido.)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Postado às 12:43, Ricardo Mota 4 comentários postado em Geral |
16/04/2014

Quem consegue explicar o assalto na casa de Heloísa Helena?

Tem me incomodado bastante, desde quando ocorreu, o “assalto” na casa da vereadora Heloísa Helena.

Esperando ser compreendido, hoje torço para que tenha sido “apenas uma ação comum” da violência urbana, que já vitimou milhares de alagoanos.

Mas há muito para explicar.

Os bandidos levaram poucas coisas, embora houvesse outras no local de maior valor.

Encapuzados, por quê?

Não é comum ações deste tipo, a não ser com pessoas conhecidas na região em que o crime acontece, e elas queiram proteger suas identidades.

Outro problema é que no mesmo condomínio há casas muito mais imponentes, onde desfilam carrões importados.

Não é o caso da HH.

Há motivos, sim, para preocupação, mas desejo que o tempo me desminta, e o mais rapidamente possível.

A vereadora do PSoL está, provavelmente, no mais difícil embate político-eleitoral que já enfrentou.

Em 1996, quando foi candidata a prefeita, HH viu sua casa ser alvo de tiros durante a madrugada. Então, foi vítima de alguns aliados. Estou convencido: sem que soubesse da trama criminosa.

E agora?

Deixo claro que não desconfio do seu adversário direto, em hipótese alguma. O problema é o entorno, um hábito terrível dos nossos maiores líderes políticos: viverem cercados de gente da mais alta periculosidade.

Em 2006, na campanha ao governo do Estado, fui previamente avisado de que alguns desses “aliados”, então apoiando um candidato majoritário, resolveram aprontar comigo. Tomei as providências necessárias. Ao que parece, a tempo.

O que aconteceu agora com HH?

Não sei, mas a ela a ao seu filho, mesmo a distância, manifesto a minha solidariedade.

Que a polícia cumpra a sua missão, investigando  apontado quem são os criminosos, repito, “encapuzados”.

Alagoas não merece tanto ódio e tanto medo.

Postado às 10:04, Ricardo Mota 31 comentários postado em Geral |

Arquivos