Ricardo Mota
Ricardo Mota
« página inicial do blog
30/09/2014

O senador Fernando Collor e o Doze e Dez Notícias

Ontem, fiquei sabendo que o senador Fernando Collor pediu direito de resposta, no TRE, ao que eu falei no Doze e Dez Notícias – e por mais de uma vez, acredito – sobre os depósitos feitos na sua conta pelo doleiro de todos os crimes Alberto Youssef.

Lembrando: quem divulgou a existência dos oito depósitos nas contas do ex-presidente, totalizando R$ 50 mil, foi o bravo juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos decorrentes da Operação Lava Jato.

Digo ao senador e à assessoria dele: independentemente da decisão da Justiça Eleitoral – que negou o pedido em caráter liminar –, afirmo e reafirmo: divulgarei, na íntegra, no programa da Pajuçara FM e aqui neste blog qualquer mensagem enviada pelo senador Fernando Collor respondendo à pergunta feita no Doze e dez Notícias:

- Os depósitos foram ou não foram feitos pelo doleiro Youssef nas contas do senador?

O ex-presidente, como já repeti reiteradas vezes, fez um pronunciamento no Senado dizendo que não conhece o doleiro de todos os crimes e que havia pedido informações à PF sobre os tais recibos encontrados – segundo o juiz Sérgio Moro – no escritório de Youssef, em São Paulo.

Mas nunca negou que os depósitos foram feitos.

Se tudo é uma invenção, que ele diga ou mande uma nota sobre o tema, negando a existência dos depósitos.

No mais, ainda que eu compreenda a intenção de alguns do entorno do senador do PTB, não será esse tipo de intimidação – ou “constrangimento” – que me impedirá de exercer a minha profissão da melhor forma que eu puder.

Postado às 12:14, Ricardo Mota 35 comentários postado em Geral |
30/09/2014

Eleições: amanhã é dia de soltar o “cachorro louco”

Pela tradição política alagoana, a quarta-feira que antecede às eleições no estado é o dia de soltar “o cachorro louco”.

Como bem me lembrou, hoje, um experiente e combativo magistrado – temido pela bandidagem –, é normalmente a partir de amanhã que a turma da criminalidade eleitoral, com PhD junto às organizações internacionais da bandidagem, passa a agir de forma escancarada e até debochada.

Ainda que muitos dos futuros detentores de mandato já tenham antecipado os seus negócios junto aos intermediários de votos, quando bate o desespero, a turma não respeita polícia, MP ou Justiça.

É claro que há ótimas exceções nas instituições que têm por missão combater a compra de voto – captação ilícita de sufrágio, na linguagem da Lei Eleitoral.

Mas as instituições continuam dependendo e muito das virtudes individuais. Haverá um dia em que não mais precisaremos dela, que já fará parte da essência do Estado.

Por ora, sugere-se seguir os bons exemplos.

Postado às 12:11, Ricardo Mota 6 comentários postado em Geral |
30/09/2014

Juiz Sandro Augusto distribui cestas básicas no Pilar

O juiz eleitoral Sandro Augusto, do Pilar, tomou mais uma iniciativa que deve servir de exemplo para todas as autoridades públicas envolvidas no processo eleitoral.

Na semana passada, como registramos, o magistrado suspendeu a distribuição de cestas básicas – “em quantidades nunca vistas na cidade” – que estava sendo feita pela Secretaria de Assistência Social da prefeitura.

O caso de suposta captação ilícita de votos está sendo investigado pela Polícia Federal.

Eis que o juiz resolveu ir além, numa decisão sensata e justa: ontem, fez a distribuição cerca de 1.100 cestas básicas que haviam sido apreendidas com a população pobre do Pilar:

- Os produtos aprendidos no órgão da prefeitura são perecíveis. Não era justo que deixássemos apodrecer aqui na sede do cartório. Fizemos, então, a distribuição.

O trabalho foi feito pelos servidores do cartório eleitoral, além do próprio juiz, com a ajuda de algumas pessoas que buscavam atendimento no local. Sem problemas, sem confusão, as cestas chegaram às mãos de algumas das famílias mais pobres do Pilar, desvinculando a doação de qualquer caráter político.

Uma parte dos donativos foi destinada a asilos da cidade, dando um reforço na alimentação de crianças e idosos em situação precária.

Outra doação

Também ontem, outra doação, que iria ser feita por uma entidade filantrópica, mas com vínculos políticos, seguiu o seu caminho: um conjunto habitacional na periferia da cidade. Só que a entrega, autorizada pelo magistrado, foi realizada sob a fiscalização de funcionários do cartório eleitoral – e sem a presença de pessoas ligadas à prefeitura ou a qualquer outra liderança política.

Infelizmente, a fome ainda é o maior cabo eleitoral de Alagoas. Enquanto ela for tão presente, o estado não se livrará do oportunismo eleitoral, que nos faz detentores do pior IDH do país.

Postado às 9:58, Ricardo Mota 17 comentários postado em Geral |
29/09/2014

Foto oficial da carreata de Renan Filho/Collor em Penedo “esquece” João Beltrão

Veja a diferença entre as duas fotos abaixo. A primeira veio no release oficial da campanha da Frente de Oposição. A outra, de um atento internauta.

Comento em seguida.

Foto oficial da caravana de Renan Filho e Collor em Penedo

 

Foto - Caravana de Renan Filho e Collor em Penedo

As imagens são da carreata dos candidatos Renan Filho e Collor na cidade de Penedo.  A manifestação aconteceu no último sábado.

Vamos aos esclarecimentos.

A foto do release oficial da campanha não tem o deputado estadual  João Beltrão (PRTB), que comanda várias prefeituras da região. Traz Marcius Beltrão, Marx Beltrão, Collor e Renan Filho.

Entretanto, na outra foto aparece com destaquue o deputado JB, que é o nome mais forte na Região Sul de Alagoas.

Lembrando: o PRTB foi expulso do então Chapão exatamente por causa das denúncias de violência contra alguns de seus integrantes: os nomes mais “vistosos” são o de JB e Cícero Ferro.

Foi um expurgo com base nas pesquisas qualitativas. Mas estava claro que era apenas uma decisão dos marqueteiros, que o senador Renan Calheiros acatou e trabalhou para que não trouxesse prejuízos à Frente de Oposição.

Os excluídos, como se pode ver, não “mudaram de lado”.

Mas têm de se submeter a isso: nada de aparição para o eleitorado formador de opinião.

 

Postado às 12:27, Ricardo Mota 30 comentários postado em Geral |
29/09/2014

Folha de S. Paulo: caminhadas de Renan Filho e Biu com tabela de preço

A Folha de São Paulo traz uma matéria interessante sobre as caminhadas na orla de Maceió, ontem, das duas candidaturas mais fortes ao governo do Estado.

A constatação?

A mais óbvia de todas: muita gente andou à beira-mar de Maceió, agitando bandeiras, gritando palavras de ordem, mas como já se sabia, “nada foi por amor”.

Vejam um trecho que resume a visão do repórter João Pedro Pitombo sobre as duas caminhadas – de Renan Filho e Biu de Lira:

Na manhã de domingo (28), a campanha – de Renan Filho – montou mais uma dessas demonstrações de força na orla de Maceió. Desde cedo, centenas de militantes chegaram da periferia em ônibus, já com bandeiras e cores da campanha, e a diária de R$ 30 no bolso.

Motoqueiros levavam R$ 70 e R$ 30 para a gasolina. Rapazes em bicicletas com som saíam com R$ 20/hora. Renan Filho já gastou R$ 7,9 milhões na campanha, e recebeu R$ 7,5 milhões em doações, de empresas como a JBS (alimentos), OAS e UTC (empreiteiras) e Bradesco.

A receita está próxima, por exemplo, à de Paulo Skaf (PMDB-SP), que faz campanha para uma população 13 vezes maior. E é mais que o dobro do que os R$ 3,6 milhões do rival Biu de Lira (PP).

Lira também tentou mostrar força numa caminhada na orla da capital neste domingo. Mais esvaziado do que o do PMDB, o evento contou com militantes pagos do interior, a R$ 30 a diária.

Renan Filho também avança no vácuo governista no Estado: o governador Teotonio Vilela Filho (PSDB) tem aprovação de apenas 17% e o candidato tucano não passa de 1% nas pesquisas.

 

Postado às 12:23, Ricardo Mota 19 comentários postado em Geral |
29/09/2014

PF investiga cadastro de eleitores feito pela Internet

Sem qualquer controle, apesar das exceções, boa parte dos candidatos a deputado estadual e federal faz do cadastro de eleitores a sua verdadeira campanha.

Os relatos são muitos, mas o medo parece ser ainda maior. Em final de governo, com assassinatos acontecendo e poucas ações efetivas das instituições, esse parece ser mesmo o caminho do sucesso.

E como o crime está sempre à frente da polícia, eis que agora surgiu o cadastro de eleitores pela internet.

A novidade me foi revelada pelo superintendente da Polícia Federal, delegado Omar Musssi.

Segundo ele, a PF está investigando um caso já identificado dessa nova modalidade de “captação ilícita de sufrágios”.

Hoje, os operadores do crime eleitoral estão mais sofisticados, principalmente nas cidades maiores. Entretanto, os velhos métodos da intimidação e da compra pura e simples do voto permanecem atuais.

O velho e o novo se unem para piorar o que já é ruim.

Postado às 9:55, Ricardo Mota 7 comentários postado em Geral |

Arquivos