Nide Lins
28/01/2015

Tonho legal

Sucesso do Boteco do Tonho: costela de porco com feijão caseiro, farofa de ovos, vinagrete e arroz

Sucesso do Boteco do Tonho: costela de porco com feijão caseiro, farofa de ovos, vinagrete e arroz

Sempre que posso, viajo até o Boteco do Tonho, na Ponta Grossa, para matar o desejo de saborear a costela de porco escoltada por feijão caseiro, arroz, vinagrete e farofinha de ovo. Sempre com mesmo padrão de qualidade, de tão macia desfia com garfo, dispensa a faca, e o sal em harmonia. O feijão bem brasileiro, o caldo encorpado, pedaços de charque, quiabo e couve. Para finalizar, a farofinha de ovo. Verdadeira obra-prima da gastronomia alagoana. A boa novidade é que o Tonho agora é legal, aceita cartão de débito e de crédito. E, com o apoio da família, abre aos domingos.

O Boteco do Tonho é Microempreendedor Individual (MEI). Quem dizia que não frequentava o boteco porque não aceitava cartão, vai ter que arrumar outra desculpa e se render aos prazeres da mesa. E como nosso Tonho (Antonio Santana) adora criar, ele inventou o enrolado alagoano, uma saborosa trama com queijo, presunto de peru, cabelo de anjo (macarrão) e o recheio pode ser de camarão ou de carne moída com linguiça. Para finalizar, o molho de tomate. Aprovadíssimo!

Novidades: enrolado alagoano, o novo petisco de queijo, presunto, camarão, cabelo de anjo e molho de tomate

Novidads: enrolado alagoano, o novo petisco de queijo, presunto, camarão, cabelo de anjo e molho de tomate

Já os clássicos caldinho de camarão ao coco com maxixe e a hóstia (rodelas crocantes de queijo parmesão) continuam muito bem cotados no mercado de botecos.

Caldinho de camarão ao coco com maxixe

Caldinho de camarão ao coco com maxixe e com ovo de codorna

Livro – O Boteco do Tonho está entre os 30 estabelecimentos do meu livro “Guia da Gastronomia Popular”, e fiquei feliz em saber pela Vanessa Fagá, do Sebrae, que o livro, além de indicar os caminhos da boa gastronomia, também será ponto de partida para o Sebrae convidar os empreendimentos a sair da informalidade e se transformarem em microempreendedores individuais.

“Estes estabelecimentos são importantes para o cenário gastronômico da nossa cidade. Já estão sendo muito bem divulgados através do Guia da Gastronomia Popular, e queremos apresentar a eles as vantagens da formalização, da participação nos projetos de atendimento do Sebrae, para que o serviço oferecido por eles seja cada vez mais qualificado, e que seus empresários possam ser melhores gestores e crescer como empresas”, argumenta Vanessa.

Tonho e sua filha Daniela no comando do Boteco que virou Microempreendedor Individual

Tonho e sua filha Danielle Guimarães, saíram da informalidade e são microempreendedores

Então, vai uma dica pra quem sonha em ser legal: o Sebrae (www.al.sebrae.com.br)  oferece gratuitamente orientação e consultoria de atendimento, seja presencial ou pela webcam, com agendamento on-line. É só ir lá.

O Boteco do Tonho é um case de sucesso do meu blog. Não tinha nome, não aceitava cartão e só vendia, em média, cinco costelas por dia e sempre sobrava. Depois da revelação no meu blog do site do TNH1, são consumidas em torno de 40 costela ao dia, e às vezes falta. Em 2012, eram quatro mesas; atualmente, 30.

Boteco do Tonho é um empreendimento familiar e todos estão presentes no dia a dia do empreendimento. Tonho está feliz com o título de microempreendedor individual. O nosso chef da Ponta Grossa conta que sua clientela aumentou e pode vender mais porque tem nota fiscal.

Clássico: hóstia (rodelas crocantes de queijo parmesão) 

Clássico: hóstia (rodelas crocantes de queijo parmesão)

Tonho legal, mas com alma de boteco: lugar simples, com ventilador, bebidas decorando o ambiente, frases… O luxo é a comida bem alagoana e brasileira, daquelas que deixam saudades.

Curiosidade: a primeira postagem do Tonho no meu blog foi em 25 de outubro de 2012. E embora jornalista da velha-guarda, cometi um erro: publiquei um número de telefone errado. Disseram-me que quase enfartei uma senhora. Ele não aguentava mais informar que na casa dela não tinha a costela do Tonho.

Não sei quantas pessoas ligaram para esta senhora (mil perdões!), mas foram 4.833 acessos ao post do Tonho.

Enrolado alagoano, com recheio de carne e linguiça

Enrolado alagoano, com recheio de carne e linguiça

Rota Boteco do Tonho

De segunda a domingo, das 11 às 16 horas – Aceita cartões

Preço da costela para almoço – R$ 17,00

Rua Manoel Lourenço, 248, Ponta Grossa (na mesma rua do famoso Bar do Pelado)

Telefone: 3221-6209

Postado às 7:37, Nide Lins 17 comentários postado em Cozinha Popular, Gastronomia |
26/01/2015

Os caminhos dos famosos botecos

Miolo de alcatra com fava e cuscuz de massa puba. Encomende o seu, a iguaria é 10

Clovis no Aldebaran: miolo de alcatra com fava e cuscuz de massa puba

“Bom Dia! Nide, estou procurando faz três horas e não encontrei(risos) um post que você colocou sobre uns restaurantes, botecos no Tabuleiro, e não localizo. Estou indo a Maceió com minha família e gostaria de conhecer. Você poderia enviar? Muito obrigada. Um abraço”.

O recado pelo facebook é da alagoana De Lima Ruf Cida, que mora na Suíça e vem de férias para Maceió, já sonhando com os sabores e aromas da terra natal. Como no meu blog ainda não tem cardápio separando por categorias, fica difícil encontrar botecos, pousadas, lanches, receitas … O meu livro “Guia da Gastronomia Popular Alagoana” também esgotou. Aproveitando a solicitação da alagoana lá na Suíça, publico três dias de botecos na parte alta da cidade: Bar do Suruagy, Feijoada da Maria Gorda e restaurante do Clóvis.

Perfeito: fava cozida apenas na água e sal é polvilhada com coentro

No Bar do Suruagy: fava cozida apenas na água e sal é polvilhada com coentro

Fava – Na movimentada Via Expressa, da Serraria, uma fachada amarela com letras garrafais anuncia: Bar do Suruagy. Não é do ex-governador do Estado. Apesar do nome peculiar, é na cozinha do modesto empreendimento que estão as estrelas: fava, carneiro e galinha guisada ou galinha cabidela, tudo do melhor estilo com tempero caseiro e sabor tradicional.

A fava com galinha é uma comida típica da cidade alagoana de Belém, que o Francisco José Leandro, o famoso Suruagy, trouxe há 27 anos para o seu bar em Maceió.

A fava vem da cidade de Maribondo, e de quinta a sábado, são produzidos 25 quilos para o consumo dos fieis fãs dos guisados com o grão. A fava, de sabor mais apurado, é apenas temperada com sal e polvilhada com coentro picado. Para escoltar tem carneiro e galinha guisada. Nota 10

Fava, carneiro, galinha, arroz, salada e farofa de cuscuz são os sucessos de 27 anos do Bar do Suruagy

Fava, carneiro, galinha, arroz, salada e farofa de cuscuz são os sucessos de 27 anos do Bar do Suruagy

Bar do Suruagy -Via Expressa, na Serraria, próximo ao Eco Park -Não aceita cartões, apenas dinheiro ou cheque. Telefone: 82 9313.5421

 

Feijoada da Maria Gorda, com 16 anos de sucesso, tem fartura de charque, e até banana da terra e batata doce

Feijoada da Maria Gorda, com mais 16 anos de sucesso, tem até banana da terra e batata doce

Feijoada – Maria Gorda é Maria dos Santos Cavalcante, que aprendeu sozinha a arte de cozinhar. É a famosa Maria Gorda que faz a melhor feijoada do Tabuleiro. No prato mais brasileiro tem duas coisas interessantes: ela acrescentou no feijão preto a banana da terra e a batata doce, uma criação da própria Maria.

A preparação começa à noite. Primeiro, ela cozinha o mocotó por três horas; em seguida, adiciona o charque e o feijão, e no dia seguinte acrescenta os legumes, temperos e outras carnes. Detalhe importante: nunca sobra feijoada de um dia para o outro. Na feijoada da Maria Gorda tem bacon, linguiça, mocotó de boi, bucho, tripa, batata doce, banana terra, couve em fios e feijão preto.

Feijoada da Maria Gorda -Travessa Edgar Barros Monteiro, 120 – Santos Dumond – Telefone: 3354.1649 -Funciona de domingo a domingo, das 11 até as 15h30 – Não aceita cartão/ Como chegar: Na Avenida Lourival de Melo Mota (BR-104), sentido Ufal-Centro, entra na primeira rua à direita após a passarela da universidade (em frente à entrada do Hospital Universitário).

 

Bife da Vovó é perfeito, verdadeira comida de mãe, feita com capricho pela Rosa, mais uma dama da gastronomia alagoana

No restaurante do Clóvis: bife da Vovó é perfeito, verdadeira comida de mãe, feita com capricho pela Rosa, mais uma dama da gastronomia alagoana na parte alta da cidade

Especialista em carne – Não tem placa e nem nome, mas muito carros estacionados depois do condomínio Aldebaran, o que anuncia que estamos no caminho certo do restaurante do Clovis,no fundo casa, exatamente no quintal. Em vez de plantas, o lugar é da boa gastronomia brasileira, do tempero caseiro do tão badalado Clovis e sua Rosa.

Os bifes de patinho mergulhados no molho caseiro da própria carne com tiras de pimentão, tomate e cebola é a boa lembrança de comida de vó, de mãe. Bifes macios e deliciosos, que na opção petisco vêm com uma farofinha…

Pernil de cordeiro, outro belo exemplar de comida de forno. Carne macia e tempero na medida

Pernil de cordeiro, outro belo exemplar de comida de forno. Carne macia e tempero na medida

Do pernil de cordeiro assado no forno, perfeito, só sobrou o osso. Para comer no restaurante do Clovis tem que ser em grupo, porque suas porções são fartas, são para três ou quatro pessoas.

Restaurante do Clovis – Rua Empresário Humberto Antonio Omena, n. 163 – telefone: 9318.6347 – Aceita cartões / Como chegar -Após a padaria do condomínio Aldebaran, é só seguir em frente depois da Pizzaria Massayó.

 

 

 

Postado às 10:04, Nide Lins 4 comentários postado em Cozinha Popular, Gastronomia |
21/01/2015

Tem cordeiro chique na Jatiúca

O cordeiro macio é pra lá de saboroso, passa por oito horas em cozimento no vinho, tudo para desmanchar no céu da boca. Para escoltar a carne tem o couscous (sêmola de trigo)

Alphazema: cordeiro é um dos pratos mais famosos da casa. A carne passa por oito horas em cozimento no vinho. Para escoltar a carne tem o couscous marroquino, legumes e a manteiga de ervas

Era um dia 7 de setembro, na ensolarada praia de Maceió, e o mar estava naqueles dias de azul glorioso fisgando o coração do paulista João Carlos Diogo. E assim, mais uma vez, o nosso mar conquistou Diogo e sua amada Paula Moraes a a viver e empreender na capital alagoana. Pensaram até em abrir uma pizzaria, mas ainda bem que a ideia literalmente acabou em pizza. O casal apostou na cozinha mediterrânea e já estreou o Alphazema Restaurante e Cafeteria, com aplausos para o Cordeiro Braseado e as Conchas de siri, criações do chef Pablo Carvalho.

Chef Pablo Carvalho formado na Le Cordon Bleu  cozinha mediterrânea, considerada uma das dietas mais

Cozinha mediterrânea: chef Pablo Carvalho formado na Le Cordon Bleu comanda as panelas do Alphazema

O cordeiro macio é pra lá de saboroso, passa por oito horas em cozimento no vinho, tudo para desmanchar no céu da boca. Para escoltar a carne tem o couscous (sêmola de trigo) marroquino, leve e molhadinho, lembra uma delicada farofinha. Das viagens do Chef Pablo por 55 cidades, em 25 países, e o diploma na famosa escola francesa Le Cordon Bleu (gastronomia e hotelaria), nasceu o capricho da cozinha mediterrânea, considerada uma das dietas mais saudáveis, à base de azeites, frutos do mar, legumes frescos e nada de fritura. Sem mais delongas vamos viajar pela cozinha do Alphazema, dos paulistanos Diogo, Paula e Pablo.

 Siri? Tem sim senhor – Da nossa lagoa Manguaba, o  siri é bem apreciado no leite de coco. Graças à criatividade do chef, ele deixou a casquinha e ganhou uma versão nas conchinhas com molho de tomate pelado italiano.  Na receita, o molusco mantém-se fiel ao leite e fica elegante com azeite e páprica. As conchas com o molho bolonhesa merecem atenção pela qualidade do molho de tomate.

Siri? Tem sim senhor – Da nossa lagoa Manguaba, o  siri é bem apreciado no leite de coco. Graças à criatividade do chef, ele deixou a casquinha e ganhou uma versão nas conchinhas com molho de tomate pelado italiano.  Na receita, o molusco mantém-se fiel ao leite e fica elegante com azeite e páprica. As conchas com o molho bolonhesa merecem atenção pela qualidade do molho de tomate.

Manteiga de vinho – Surpreendente é a carne contra-filé, ao ponto e suculenta, coroada com manteiga de vinho e ervas. Para acompanhar tem batata aos murros. Literalmente, o legume leva alguns socos do chef, tudo em nome do sabor. Ela abre e recebe azeite aromatizado no alho e alecrim, e o famoso ratatouille (refogado de legumes).

Manteiga de vinho – Surpreendente é a carne entrecot (filé de costela), ao ponto e suculenta, coroada com manteiga de vinho e ervas. Para acompanhar tem batata aos murros. Literalmente, o legume leva alguns socos do chef, tudo em nome do sabor. Ela abre e recebe azeite aromatizado no alho e alecrim, e o famoso ratatouille (refogado de legumes).

Cabra – Para enriquecer o paladar, aposte na Bruschetta Mediterrânea. O chef Pablo promoveu uma mistura exótica: queijo de cabra, mel, damasco, hortelã e azeitona no pão italiano. É uma entrada, ou melhor, um ótimo começo no restaurante Alphazema.

Cabra – Para enriquecer o paladar, aposte na Bruschetta Mediterrânea. O chef Pablo promoveu uma mistura exótica: queijo de cabra, mel, damasco, hortelã e azeitona no pão italiano. É uma entrada, ou melhor, um ótimo começo no restaurante Alphazema.

Resumo: Alphazema tem a cozinha caprichada  e elegante nos sabores. Culinária mediterrânea bem apresentada pelo chef Pablo.

Diogo e Paula, apaixonados por Maceió, investiram em novos sabores no Alphazema

Diogo e Paula, apaixonados por Maceió, investiram em novos sabores no Alphazema

O tiramisù é uma sobremesa tipicamente italiana, que consiste em camadas de pão de ló embebidas em café, entremeadas por um creme à base de queijo mascarpone e polvilhadas com cacau em pó. O próprio chef Pablo faz o queijo mascarpone, faz toda diferença

Tiramisù, sobremesa tipicamente italiana, que consiste em camadas de pão de ló embebidas em café, entremeadas por um creme à base de queijo mascarpone e polvilhadas com cacau em pó. O próprio chef Pablo faz o queijo mascarpone, faz toda diferença

Rota Alphazema – Restaurante e Cafeteria

Entradas a partir de R$ 17,60 / frutos do mar a partir de R$ 59,70/ carnes a partir de R$65,60 – Pratos para uma pessoa, duas e a paella pra três

Funciona de segunda a sábado, das 18h30 até 23h – Aceita cartão

Rua José Luiz Calazans, 31, Jatiuca – Telefone: 3435.9885 (referência hotel Marinas)

Postado às 7:51, Nide Lins 5 comentários postado em Chef na Cozinha, Gastronomia |
19/01/2015

Peixe com mingaupitinga, obra prima da mandioca

Almoço alagoano: miguapitinga, feito da massapuba com filé de peixe no Sur

Almoço executivo: mingaupitinga, feito da massapuba com filé de peixe no Sur nas sextas-feira e domingo

Peixe serigado alto, apenas no sal, ervilhas e alcaparras. Para escoltar o pescado, o famoso “mingaupitinga”, uma iguaria feita com a massa puba, leite de coco e leite de gado. A receita, uma tradição das Irmãs Rocha Engenho Varrela (São Miguel dos Campos), está no livro “Delícias da Cozinha Alagoana” que ganhou uma nova edição no ano passado. Pois bem, este mingau, de cor branca, adocicado pelo leite de coco, também é uma das atrações do almoço executivo nas sextas e domingos do restaurante SUR.

O Sur, eleito no passado pelo Guia 4 Rodas entre os 40 melhores do Brasil, voltou com a versão do almoço executivo  e o cardápio é mutante, cada semana tem novidades, mas a essência da cozinha alagoana é a alma do restaurante. Mas além do almoço do chef, outra novidade que vem conquistando os corações e estômagos é Surburguer, hambúrguer de filé (180 gramas) com molhos e queijos que  fazem a diferença.

O restaurante, sob a batuta dos chefs Serginho Jucá e Felipe Lacet, começou 2015 inspirado. Então vamos decifrar as comidinhas do menu do chef desta semana. Para entender melhor: nos almoços de sexta e domingo, o ritual começa com a pipoca na manteiga de garrafa, e em seguida,o nosso trabalho é escolher uma entrada, um prato principal e uma sobremesa. Sempre são duas opções para escolher.

Pra começar – Salada Sur ou arrumadinho de pato são as duas opções de entrada. A salada leve ganha sabor com a castanha, manga cubos de doce de manga e o queijo primadonna

Pra começar – Salada Sur ou arrumadinho de pato são as duas opções de entrada. A salada leve ganha sabor com a castanha, manga cubos de doce de manga, molho pesto e tomates cerejas e o queijo primadonna

Pato arrumado – Se eu fosse o chef, adotaria de vez este prato para o cardápio do restaurante. Os cubos do pei to de pato viraram um saboroso arrumadinho com feijão verde (na manteiga), farofa de bacon com banana, molho da casa e tomates picados e picantes. Meu apelo: Vida longa ao arrumadinho de pato, por favor, chefs.

Pato arrumado – Se eu fosse o chef, adotaria de vez este prato para o cardápio do restaurante. Os cubos do peito de pato viraram um saboroso arrumadinho com feijão verde (na manteiga), farofa de bacon com banana, molho da casa e tomates picados e picantes. Meu apelo: Vida longa ao arrumadinho de pato, por favor, chefs.

Carne de sol metida a besta – Da cozinha alagoana tem o queijo manteiga e a carne de sol fazendo bonito com o arroz italiano (arbóreo). O risoto ganhou o sabor forte com o funghi e os deliciosos chips de batata doce.

Carne de sol metida a besta – Da cozinha alagoana tem o queijo manteiga e a carne de sol fazendo bonito com o arroz italiano (arbóreo). O risoto ganhou o sabor forte com o funghi e os deliciosos chips de batata doce

Mel de beterraba -Nem todo mundo aprecia a beterraba, mas na cozinha do Sur este legume é transformado em mel para banhar os morangos e casar perfeitamente com o sorvete de coco.

Mel de beterraba -Nem todo mundo aprecia a beterraba, mas na cozinha do Sur este legume é transformado em mel para banhar os morangos e casar perfeitamente com o sorvete de coco.

 

 Doce suave – O sorvete de doce de leite, adorei, porque não é enjoativo e vem escoltado por mousse de chocolate, castanha e banana (mas prefiro sem banana para diminuir o doce).


Doce suave – O sorvete de doce de leite, adorei, porque não é enjoativo e vem escoltado por mousse de chocolate, castanha e banana (mas prefiro sem banana para diminuir o doce). O café polvilhado no sorvete  também deu sabor especial Estas são as dicas do almoçoex do Sur, uma grata surpresa ao paladar

 

Chefs Setginho Jucá e Felipe Lacet no  carrinho do Surburguer

Chefs Setginho Jucá e Felipe Lacet no carrinho do Surburguer

180 gramas – O surburguer (hambúrguer artesanal), uma criação dos chefs Serginho Jucá e Felipe Lacet, era apenas nos dias de quartas, mas em 2015 tem todo dia, de terça a domingo no trailer estacionado no jardim do restaurante. O novo serviço inclui garçons e banheiros.  Além da carne de filé, de primeira, o diferencial de cada surburguer são os queijos e os molhos de fabricação da própria casa.

Os mais queridos são os Brieburguer com queijo brie, burger de filé, alface, tomate, cebola caramelizada e o PrimadonaBurguer, com os mesmo acompanhamentos, a diferença é o queijo holandês, Prima donna. Os molhos são o Catchup de goiaba picante e maionese surreal a base de leite, sem ovos

Os mais queridos são os Brieburguer com queijo brie, burger de filé, alface, tomate, cebola caramelizada e o PrimadonnaBurguer, com os mesmo acompanhamentos, a diferença é o queijo holandês, primadonna. Os molhos são o catchup de goiaba picante e maionese surreal (base de leite, e sem ovos). Para abocanhar o Surburguer, a dica dos chefs é apertar o sanduba com as mãos

Rota Sur

Almoço executivo nas sextas e domingos – R$ 65,00 (com entrada, prato principal e sobremesa) por pessoa

Das 12 até 16 horas

Surburguer – De terça a domingo  das 19 até 22 horas. Preço de R$20 até R$26,00

Rua Professora Maria Esther da Costa Barros, 306/320 – Stella Maris  (82) 9110-2337 /  (82) 9678-1687

 

 

 

 

 

 

 

Postado às 12:10, Nide Lins 1 comentário postado em Geral |
14/01/2015

Sucos e pizzas, ótima aposta

Saudável: sucos da própria fruta e nem precisa de açúcar e nem adoçante.  Da Sucaria da Fruta são mais que perfeito

Saudável: sucos da própria fruta e nem precisa de açúcar e nem adoçante. Da Sucaria da Fruta são mais que perfeito

Tem gente que ama pizza e refrigerante, eu navego contra a corrente, prefiro sucos, e se for da fruta, melhor ainda… Sabor e doçura natural é saudável e delicioso. Essa é a proposta da Juliana Normande, aliás o sonho da alagoana, que durante quatro anos comandou a Sucaria da Fruta na Praia da Pajuçara, mas fechou e deixou saudades.

“Chega de saudades”, Sucaria da Fruta abriu as portas no bairro da Ponta Verde em parceria com o restaurante e casa de cultura, Dante Alighieri, e com novidades. Os dois estão no mesmo espaço compartilhando os sabores brasileiros e italianos.  Da Sucaria tem os sucos divinos, e nem precisa de açúcar, a mistura de várias frutas enriquece o paladar.

Suco combinados ou apenas de uma fruta como o Kiwi é a proposta da Sucaria

Suco combinados ou apenas de uma fruta como o Kiwi é a proposta da Sucaria

Provei a combinação  de tangerina, uva Isabel e abacaxi. A uva sobressai, e o açúcar natural da fruta é perfeito. Outro que conquistou meu paladar foi de limão, abacaxi e gengibre, ótimo e refrescante.

Juliana Normande não revela o segredo dos sucos, que só levam um dedo de água e aproveita o líquido da própria fruta. A alagoana dá uma pista: apenas um dedo de água na hélice do liquidificador é  suficiente para triturar as frutas e deixar os sucos com sabor natural. Alguns sucos levam água de coco. Mas o sucesso é a combinação, também tem só de uma fruta, a exemplo do kiwi.

Pizza

Pizza Dante Alighieri no cardápio da Sucaria da Fruta

Do Dante Alighieri  (restaurante e casa de cultura da Italiana) está fechado até final de janeiro, mas a parceria com a Sucaria da Fruta presenteou o cardápio com pizzas individuais, uma criação do casal Pietro e Paola.

As pizzas seguem a tradição italiana da região da Sicília: as massas são finas e crocantes. O tamanho é individual. Eu curti e adorei a de salame.

Salada de fruta bem servida

Salada de fruta bem servida

A salada de frutas é a marca registrada da cozinha de Juliana. Tem fartura e frutas fresquinhas, para quem aprecia pode adicionar uma bola de sorvete.

Resumo: Na cozinha da Juliana Normande, ela e sua equipe preparam sucos maravilhosos, boa pizza, salada de fruta e outras iguarias num lugar pequeno, charmoso e saudável.

Salada tropical da Sucaria e o sanduba wrap de queijo e presunto

Salada tropical da Sucaria e o sanduba wrap de queijo e presunto

Rota Sucaria da Fruta

Sucos a partir de R$ 6,50 /Pizza – R$ 15,00 para uma pessoa

Rua Higia Vasconcelos,79 (atras da Marcio Raposo), 79

Funciona de terça a domingo, das 15 até as 22 horas – Aceita cartão

Postado às 17:04, Nide Lins 3 comentários postado em Geral |
10/01/2015

Doce verão

Pudim de doce de leite, criação da chef Lila. Só comendo para descobrir a maravilha com calda de açúcar

Pudim de doce de leite, criação da chef Lila. Só comendo para descobrir a maravilha  de  sobremesa car

Não posso abusar dos doces, a balança é cruel, mas fugir uma vez ou outra faz bem, deixa a gente feliz… Nesta postagem reuni algumas celebridades do açúcar para adocicar o verão. A primeira é do restaurante Lila, um lugar charmoso na Antiga Amélia Rosa, na Jatiúca, que tem doces maravilhosos. O que mais aprecio é o pudim de doce de leite, uma fabricação da própria cozinha. “Faço o doce de leite e transformo em pudim”, diz a chef de cozinha, a Lícia Maranhão, conhecida com Lila. O resultado tem textura macia, e o sabor é uma doce tentação. Mas a chef Liladora criar, e apostou no Kit Verão, vários brigadeiros e um bolo de chocolate com calda de brigadeiro…

Kit praia: brigadeiros e bolo de chocolate com cobertura de brigadeiro

Kit verão: brigadeiros e bolo de chocolate com cobertura de brigadeiro, pronto para casa de praia

Restaurante Lila – Rua Augusto Cardoso, 111, quadra 5, Jatiuca – Telefone 3337.5876 e 9625.7270- Como chegar – Sentido Amélia Rosa – Praia . entra na 3 rua a direita depois da Farmácia Permanente – No sentido Praia para Shopping Maceió entra no primeiro retorno (do restaurante Hashi) na Amélia Rosa.

Outras doçuras:

 Picoles são produzidos artesanalmente, 100% natural, com frutas selecionadas, sem adição de conservantes e teor calórico baixíssimo

Picolés são produzidos artesanalmente, 100% natural, com frutas selecionadas e sem adição de conservantes

Picolés mexicanos

Paletas para os mexicanos. Picolés para brasileiros. A franquia Monterrey trouxe para Maceió os picolés são produzidos artesanalmente em Salvador, 100% natural, com frutas selecionadas e- sem adição de conservantes. Eu me apaixonei pela paçoca, e também provei o de manga: o único sem açúcares, ideal para diabéticos. O bom do novo picolé é que todos os sabores, com exceção do chocolate com recheio de brigadeiro, não tem glúten. Eles são produzidos artesanalmente, 100% natural, com frutas selecionadas, sem adição de conservantes e teor calórico baixíssimo.

Rota Monterrey, Hellato mexicano – Parque Shopping, no segundo piso em frente a Vivara/ Shopping Pátio (em frente a Casas Bahia) e  no Maceió Shopping (Flulook- estacionamento) / Mynt Summer na Barra de São Miguel 

 

A grata surpresa é o cuscuz na versão cartola (banana, canela e açúcar)

Cuscuzeria Café : a grata surpresa é o cuscuz na versão cartola (banana, canela e açúcar)

Cuscuz

Na Cuscuzeria Café, sob a batuta de chef Manuela Magalhães, nossa Manu oferece o cuscuz de cartola, que segue a receita tradicional: banana assada, queijo coalho, açúcar e canela. A diferença é que o doce vira recheio do cuscuz, que também vem polvilhado com açúcar e canela. O sabor é uma lembrança de bolo salgado de milho com recheio do doce.

Cuscuzeria Café – Endereço: Avenida Doutor Antônio Gomes de Barros, 1076 (Antiga Amélia Rosa)- Jatiúca – Telefone: 3034-8000

Sabor do Nordeste, cartola

Sabor do Nordeste, cartola do Bistrô Fernandes

Cartola

O Bistrô Fernandes, uma boa proposta gastronômica do Farol, para adoçar a vida oferece o doce cartola é perfeito. Banana, queijo manteiga, açúcar e canela, numa nova apresentação, mas com o sabor da infância e do Nordeste.

Bistrô Fernandes – Avenida Fernandes Lima, 287, Telefone: (82) 3326-2040 – Depois da Casa da Indústria.

orta Periquito leva aveia fina, chocolate e cacau sem açúcar, adoçante, sem leite e nem farinha de trigo

Torta Periquito leva aveia fina, chocolate e cacau sem açúcar, adoçante, sem leite e nem farinha de trigo

Sem açúcar, mas com afeto

Torta de chocolate macia, molhada e saborosa. Na receita não tem farinha de trigo, nem leite, nem manteiga, e em vez de açúcar, adoçante… A mãe da doçura é nutricionista Moema Ferro acertou em cheio, a torta é maravilhosa, tanto que dá vontade de repetir na companhia de um cafezinho, do restaurante Manga Verde. O nome da torta é Periquito, é um bolo funcional, que além de saboroso, ajuda na digestão. A chef Moema Ferro usa a farinha de aveia fina, chocolate e cacau sem açúcar, adoçante. Portanto, para quem tem intolerância a lactose e o glúten podem se deliciar sem medo. A torta vem com  calda de frutas vermelhas.

Rota Manga Verde, Cozinha Natural – Antiga Amélia Rosa, 221, Jatiúca. Indo em direção à praia – Telefone: 3025. 9889

 

 

Postado às 10:09, Nide Lins 6 comentários postado em Gastronomia, Restaurantes |
07/01/2015

Praia da Jatiúca mais saborosa

Linguiças artesanais, um bom começo no restaurante Nalu (antigo Posto 7) na praia da Jatiúca

Linguiças artesanais, um bom começo no restaurante Nalu (antigo Posto 7) na praia da Jatiúca

Da praia da Jatiúca vejo a Ponta Verde, aprecio as ondas, arrisco a molhar os pés… De dia, o azul lindo do verão, de noite as estrelas, e se a lua cheia dá o ar da graça, é pra embriagar de beleza… Essa é minha praia da Jatiúca e de todos nós apaixonados por Maceió. Mas desde novembro ela está mais saborosa, com os pasteis redondos, linguiças artesanais, chope (cevada pura) de cor ouro e geladíssimo. Ainda tem o feijão com arroz, carne, farofa e salada, comida bem brasileira.

Todas estas maravilhas da culinária brasileira têm endereço, no restaurante Nalu (antigo Posto 7) na praia da Jatiúca . O lugar é além da bela vista da orla, é charmoso, e o essencial, tem comidinhas bem legais criadas pela chef carioca, Debora Gomes e com a consultoria da chef Walgra Mello.  Quando fui ainda em dezembro do ano passado, experimentei a linguiça de boi artesanal com farofinha, que encantou meu paladar de primeira.

Farofinha de rosca na manteiga, criação da chef Debora do restuarante Nalu

Farofinha de rosca na manteiga, criação da chef Debora do restaurante Nalu

A linguiça é bem temperada e a produção é alagoana. Para escoltar a iguaria, alho grelhado com ervas e farofinha de rosca feita na manteiga com cebola.

Receita do verão: chope Cevada Pura de sabor mais encorpado e sempre gelado. A fabricação é alagoana

Receita do verão: chope Cevada Pura de sabor mais encorpado e sempre gelado

Para bebericar, o saboroso chope Cevada Pura, também fabricação alagoana. Bebida mais encorpada, tanto o pilsen como o de trigo (sou fã de carteirinha). A bebida chega na mesa geladíssima e dourada como nosso verão. Irresistível.

Almoço executivo: filé, feijão, arroz, farofa e batata gratinada. Bem brasileiro

Almoço executivo Nalu: filé ao queijo coalho, feijão, arroz, farofa e batata gratinada. Bem brasileiro

Para quem gosta de almoçar olhando a praia da Jatiúca ao sabor do vento ou no friozinho do ar-condicionado, o Nalu oferece almoço executivo. A diferença são os acompanhamentos (feijão na manteiga, arroz, farofa e batata gratinada) os fregueses do restaurante podem repetir até bastar. A tarefa difícil é escolher que tipo de carne mais apetece o paladar (filé, peixe ou frango). Também está incluso no almoço executivo a saladinha, torradas e manteiga com ervas.

O filé tem carne macia e coberta por queijo coalho.

Pasteis de carne e queijo é de pedir bis

Pasteis redondos de carne e queijo é de pedir bis

Dos pasteis gostei logo de cara, a massa é redonda, com recheio de carne, e o de queijo vem com a surpresa das cebolas roxas na manteiga.

Aprovei os quitutes da chef Debora, têm bom tempero, textura, sabor e apresentação. O cardápio tem camarões, peixes e cordeiro, e pelo andar da carruagem do Nalu, com certeza todos devem ser bons.

Entrada do almoço executivo: torradas, manteiga com ervas e saladinhas

Entrada do almoço executivo: torradas, manteiga com ervas e saladinhas

Defeito? Acho que tem um, é pertinho do meu lar, vicia. É uma tentação de ficar horas paquerando o mar com chope gelado e pasteis. E tem o charme das luminárias de palha de Ouricuri do Pontal do Coruripe.

A vista do Nalu, é de embriagar qualquer cidadão

A vista do Nalu, praia da Jatiuca é de embriagar qualquer cidadão

História – O restaurante é o sonho da família, a chef Debora Gomes e seus pais Gilson e Celeste Gomes, que deixaram a Cidade Maravilhosa pela nossa amada Maceió.

Os cariocas investiram no restaurante charmoso, com cardápio de comida brasileira e com invenções deliciosas, como a farofa de rosca. Na cozinha de Debora tem o sabor de sua família, da sua vó Iris e de sua mãe Celeste.

Com tempero de vó e mãe, sentimos de longe o aroma do amor de comida de casa, de família, de amizade…

Nalu, o charme na praia da Jatiúca

Nalu, o charme na praia da Jatiúca

Rota Nalu

Preços dos petiscos a partir de R$ 19,00 / Almoço executivo (de segunda a sexta) R$24,50 com direito a repetir os acompanhamentos (farofa, feijão, batata gratinada e arroz). Prato principal (para duas pessoas)  a partir de R$49,90

Horário: de segunda a domingo das 11 até 23horas/ almoço executivo de segunda a sexta das 11 até 17horas

Aceita cartão

Álvaro Otacílio, S/N – (antigo Posto 7)  Praia da Jatiúca – Mais informações 8161.2469

Postado às 0:36, Nide Lins 10 comentários postado em Chef na Cozinha, Gastronomia |
05/01/2015

Cachorro quente de seu Moacir: campeão de acessos de 2014

O famoso Moises com sua foto na época do Quartel

Seu Moacir com sua foto na época do Quartel, empreendedor do bairro do Jaraguá com seu famoso cachorro quente

Seu Moacir Monteiro de Oliveira, ex-juiz de futebol, diz orgulhoso que inaugurou o Trapichão. No meu blog, este cidadão alagoano ficou famoso graças ao seu cachorro quente servido no pão francês, salsicha e carne moída, simples e maravilhoso. Foram 5.574 curtidas, quem acessou e foi lá provar também está de parabéns, afinal, Seu Moacir contabiliza 47 anos de empreendedorismo no bairro de Jaraguá.

Entre os dez mais acessados no meu blog, na categoria de lanches, estão os pasteis do Chico, da Geo e da Fumaça. No segmento de restaurantes e Bares, o Reinado da Macaxeira, Sanatório, Galeteria Fusion e Manga Verde (comida saudável). Já no turismo o roteiro de Paripueira e a Vila Niquim (mix de lojas e restaurantes que funciona no verão da Barra de São Miguel) conquistaram os internautas.

Também foram bem acessados os eventos temporários: Festival de Bar em Bar da Associação Brasileira de Restaurantes e Bares (Abrasel) e comidinhas de chefs na Praia, da Associação dos Restaurantes da Boa Lembrança. Vamos torcer por mais eventos de gastronomia na rua, o povo aprovou.

Também na minha página do facebook do Blog Nide Lins (https://www.facebook.com/blognidelins) e no instagram (@nidelins) vou publicar os post dos 10 mais de 2014.

Veja um breve resumo dos 10 mais acessados de 2014:

Cachorro quente do Moavir, tradição de 47 anos no bairro do Jaraguá

Cachorro quente do Moavir, tradição de 47 anos no bairro do Jaraguá

1 – Cachorro quente do Moacir – 5.574

Uma modesta casa de esquina no bairro do Jaraguá, logo de cara, não é convidativa e,  como diz o sábio ditado popular, “quem vê cara não vê coração”. Neste lugar singelo, de mesas de plástico, bancos, onde no fundo  tem um quadro do mar com uma jangada, o ambiente guarda seu o maior tesouro: o cachorro quente do Moacir.  E lá se vão 47 anos de história no mesmo endereço, com o nome de  Caldilar. O Seu simpático Moacir de cabelos brancos, começou na labuta logo cedo, com 20 anos e ajudando o pai na mercearia que vendia perfume, feijão, charque, farinha…Mas, com as mudanças do bairro, da valorização do Centro de Maceió, ele resolveu mudar para o ramo de alimentos e bebidas. Primeiro foi caldo de cana com cachorro quente.  Hoje o caldo de cana perdeu a liderança para o suco de laranja, feito na hora, bem fresquinho (ideal para combater esse calor). Por dia, são consumidas mil laranjas. Uma proposta saudável – como não curto refrigerante e nem suco artificial, virei fã do Moacir. Mas, imbatível mesmo é o cachorro quente com carne moída e salsicha no pão francês, sempre fresquinho.

Rota  Caldilar - Funcionamento de terça a sexta-feira, das 7h30 até 17h30 e aos sábados das 8 as 12h/ Rua Barão de Jaraguá, 311 – Telefone 3325.5395 /Não aceita cartão

Pastel do Chico nos sabores de carne, queijo, misto e mistão, tradição de 22 anos no bairro do Prado

Pastel do Chico nos sabores de carne, queijo, misto e mistão, tradição de 22 anos no bairro do Prado

2 – Pastel do chico – 3.401

Pastel do Chico é uma tradição alagoana, a história da lanchonete começou há 22 anos, na Rua Cabo Reis, 610, e até hoje a iguaria mantém a mesma qualidade e os sabores de carne, queijo, misto e mistão. O Chico é avesso à entrevista e as fotos, mas a sua esposa Maria das Neves, sempre atenciosa, e claro uma das responsáveis pelo sucesso do pastel, com sorriso aberto relata a história da micro empresa familiar. “No começo não tinha pastel, só lanches. Um amigo da família ensinou a fazer o pastel, e pegou, tanto que os outros salgados desapareceram”, conta Maria das Neves.

Rota do Pastel do Chico - Rua Cabo Reis, 610 – Ponta Grossa. Telefone – 8811.5302/ 8879.9776 - Não aceita cartão, só dinheiro/ De segunda a sexta das 7h30 até 12h30 e das 13h30 até 18h/ Sábado das 7 até 12h

 

Picanha de cordeiro, um dos pecados do Recanto da Macaxeira

Picanha de cordeiro, um dos pecados do Recanto da Macaxeira

 3 – Recanto da macaxeira – 3.080

A macaxeira é originária de Arapiraca, daquelas que chamamos de manteiga, pela sua cor amarela, cozida na panela de pressão, derrete. Mas vamos decifrar o reinado da macaxeira e outros quitutes preparados pelo Marcos, que além de pilotar bem fogão, de dia tem um salão de beleza, e diz: “Faço tudo, corto, pinto, escovo….” A macaxeira vem com farofa, vinagrete e uma porção de manteiga derretida. Para escoltar a raiz,tem picanha nacional e argentina, contrafilé, costelinha de carneiro.

Rota Recanto da Macaxeira – Rua Artur Charles Dorvile 284, Jatiúca – Como chegar –  Na Antiga Amélia Rosa (praia em direção ao shopping Maceió) pega o último retorno, entra na primeira direita e depois primeira direita- Telefone: 8855.6845 – Aceita cartão – Funciona de terça a sábado, das 18h até meia noite.

Pastel de carne de dona Geo é campeão de vendas há 28 anos na pequena lanchonete no Jaraguá

Pastel de carne de dona Geo é campeão de vendas há 28 anos na pequena lanchonete no Jaraguá

4 – Pastel da geo – 2.828

Com 83 anos, cabelos brancos e sorrisos, a dona Gertrudes Wanderlei Araújo, ou simplesmente Geo, é de bem  com a vida e sua felicidade é o tempero dos seus pasteis, sanduíches, coxinhas de galinha e dos maravilhosos sucos da própria fruta. Comida simples, mas são os recheios de carne do pastel e do sanduíche que há 28 anos conquistam estômagos e corações no bairro do Jaraguá (próximo a Policia Federal). E justiça seja feita, todos os quitutes da Geo são ótimos, mas a carne moída tem um diferencial, ela é macia e vem misturada com purê de batata, cebola, pimentão e tomate verde (leva duas horas cozinhando) que confere o sabor especial.  Na panela da Geo não entra cominho. A massa do pastel é a mesma que compramos no supermercado, mas é bem crocante e sem excesso de óleo, também tem de bacalhau.

Rota Pastel da Geo - Avenida Walter Ananias, 893 -Jaraguá - Telefone: 3231-1377 – antes (direção Jaraguá/praia da Pajuçara) da Policia Federal- Entre a Nordeste Auto e a GrafNobre/ Funciona de segunda a sexta das 8h30 as 12h00 e das 14h30 as 17h30/ Sábado das 12h30 até 12h00/ – Não aceita cartão

Boa gastronomia e variada, a exemplo do camarão ao molho de menta da Santoregano na Vila Niquim, na Barra de São Miguel.

Boa gastronomia e variada, a exemplo do camarão da Santoregano na Vila Niquim, na Barra de São Miguel

5 – Vila ninquim  (Barra de São Miguel) – 2.427

O Villa Niquin é um shopping a céu aberto, na Barra de São Miguel, uma tradição de verão. Já que muitos alagoanos migram para suas casas de veraneio e os turistas lotam os hotéis, as lojas, bares e restaurantes também trilham o mesmo caminho do litoral Sul de Alagoas. Para quem tem criança, Villa Niquin é o paraíso para os pequenos. Lá no shopping a céu aberto tem o parque Pimenta, para a criançada se esbaldar, com recreadores de olho na gurizada. E quem deseja se aventurar pode curtir a tirolesa e o arvorismo, uma atividade muito bacana para que desde cedo as nossas crianças vençam os obstáculos. O turismo de aventura na Villa é uma das atividades mais requisitadas pelas crianças.

Rota da Villa Niquim - Funciona diariamente das 12 até as 22 horas o restaurante Casa do Chef e  a partir das 16 até 22h as lojas, restaurantes, bares, parque e as atividades do turismo de aventura.

Fusion Galeteria: costelinha suína crocante por fora e macia por dentro e  acompanhada de feijão caseiro (gosto mais) ou tropeiro, arroz com cenoura, macarrão, fritas, maionese caseira (perfeita) ou purê, farofa e vinagrete

Fusion Galeteria: costelinha suína crocante por fora e macia por dentro e acompanhada de feijão caseiro (gosto mais) ou tropeiro, arroz com cenoura, macarrão, fritas, maionese caseira (perfeita) ou purê, farofa e vinagrete

6-  Fusion Galeteria – 2196

Estou com água na boca. Escrevo sem modéstia nenhuma porque a foto é minha, mas a arte da costelinha suína crocante por fora e macia por dentro é do alagoano de Batalha, Fernando Costa, o mais novo chef do mercado alagoano. O melhor: a iguaria vem acompanhada de feijão caseiro (gosto mais) ou tropeiro, arroz com cenoura, macarrão, fritas, maionese caseira (perfeita) ou purê, farofa e vinagrete. O novo restaurante Fusion Galeteria nasceu com a proposta de delivery (entrega à domicilio). Mas, graças ao amigo Vitor Cansanção, que pediu gentilmente uma mesa com cadeiras para confortavelmente saborear o galeto desossado acompanhado da cerveja,  o empreendimento virou restaurante.

Rota Fusion Galeteria - Avenida Capitão Marinho Falcão, 1112, Santo Eduardo (na mesma da Vitor Arts) – Telefone: 3024.3005/8845.0344/ Funciona das 10h30 até 15h. Só fecha nas terças-feiras / Aceita cartão

Segundo lugar: o pastel do Fumaça bom e barato, apenas R$1,00

Pastel do Fumaça bom e barato, no Centro de Maceió

7- Pastel do  Fumaça – 2081

Em todo e qualquer lugar do mundo, o lanche na sala de trabalho é imprescindível para rebater a fome. Tem aqueles que são diet e preferem frutas e barrinhas de cereais, outros apostam no bolo, e, claro, no cafezinho, que não pode faltar. Mas há quem prefira uma opção mais substanciosa, e barata. Para estes comensais, a dica é o Pastel do Fumaça (próximo à Transpal). Descobri o lugar graças a um convite dos meus colegas Edson e Elton (Jonh), que me chamaram para comer pastel com caldo de cana. O lugar é pequeno e simples. O campeão de vendas é o de carne (bom). Provamos também o de queijo coalho, também é bom. A massa caseira é macia, bom sabor, textura de pastel crocante, bem frito e feito na hora, bem quentinho.

Pastel do Fumaça - Rua Buarque de Macedo, 573 – Centro (próximo a Transpal)/ Funcional de segunda a sexta-feira, das 8 até 17horas e aos sábados, das 8 as 12h./ Telefone: 3326.2492 / Não aceita cartão

Sucesso no Sanatório: as coxinhas de frango são temperadas com ervas e sal, e podem ser empanadas em com uma capa de milho

Sanatório: as coxinhas de frango são temperadas com ervas e sal, e podem ser empanadas em com uma capa de milho

8- Sanatório Bar – 1.970

As coxinhas gordinhas e lindinhas chegam a mesa exuberantes e sexy. No cardápio elas são conhecidas como “Tulipinhas”, cobertas com um manto de farinha de milho e acompanhadas pelos molhos barbecue e aioli. Essa é a receita do casal de chefs Cristiana Purcell, nossa Tina, e Gustavo Gaeta, que abriram recentemente um saudável bar com a proposta de tratamento dos males do corpo e da mente. Batizado de Sanatório, situado no bairro do Poço (no antigo Caruaru), o novo endereço oferece um cardápio que vai da costelinha de porco às bebidas criativas. As coxinhas de frango são temperadas com ervas e sal, e podem ser empanadas em duas alternativas: farinha de trigo ou de milho (atendendo a quem não pode comer glúten), a de milho forma uma camada superdeliciosa.

Rota Sanatório – Avenida Brasil, 1255b, Poço – Horário de funcionamento: de terça-feira a domingo, a partir das 17 horas. Telefones: (82) 3316-2002 e/ou (82) 9919-2232/ Aceita cartão.

Em vez do peixe ao leite de coco, a crosta de tapioca (goma mais coco ralado), inovador e bom

Em vez do peixe ao leite de coco, a crosta de tapioca (goma mais coco ralado), inovador e bom

9 - Manga Verde – 1.905

Comer bem, naturalmente e saudável, é um sonho de consumo. Desde que me entendo por gente, a balança é meu pesadelo! E, como blogueira de gastronomia, a palavra “dieta” não consta no meu dicionário. Mas, quando abre um empreendimento com a proposta de comida saudável, corro para ver se é bom mesmo. Afinal, já se foi o tempo em que comida natural não combinava com sabor. Quando provei o filé de dourado com crosta de tapioca, arroz integral e legumes (no sabor do peixe), fiquei encantada pela criatividade e divinamente feliz pelo gosto bom ao paladar. Destaque também para a Ttrta de chocolate macia, molhada e saborosa. Na receita não tem farinha de trigo, nem leite, nem manteiga, e em vez de açúcar, adoçante… Para acertar a receita é preciso muita ciência, principalmente para não ficar extremamente doce e nem com sabor de adoçante, pois a nutricionista Moema Ferro acertou em cheio, a torta é maravilhosa, tanto que dá vontade de repetir na companhia de um cafezinho, do restaurante Manga Verde.

Rota Manga Verde, Cozinha Natural -Antiga Amélia Rosa, 221, Jatiúca. Indo em direção à praia . Funciona de terça a domingo, das 11h30 até as 15h e das 18 até as 22h. Telefone: 3025. 9889 / Aceita cartão

Pousada Vila dos Corais - O valor da diária é R$ 140,00 com café da manhã para casal. Indicado para casal, família, ou então reunir os amigos para curtir a praia de Paripueira. Uma Criança de até 5 anos no apartamento dos pais é free. Aceita cartão - Telefone (82) 3293-1362. Foto de Jorge Menezes

Pousada Vila dos Corais – O valor da diária é R$ 140,00 com café da manhã para casal. Indicado para casal, família, ou então reunir os amigos para curtir a praia de Paripueira. Uma Criança de até 5 anos no apartamento dos pais é free. Aceita cartão – Telefone (82) 3293-1362. Foto de Jorge Menezes

10-  Paripueira – 1.896

Não tem como escrever sobre a cidade de Paripueira (litoral Norte de Alagoas) sem lembrar-se do sambista Martinho da Vila: “Teka, rendeira/ Eliane, praieira/ Vamos pra Paripueira…”. Então, aceite o convite do mestre da música popular brasileira e vamos à Paripueira. Bem pertinho de Maceió, o  paraíso alagoano do litoral norte tem muitos encantos e sabores: o afamado camarão crocante do Osvaldo, os lagostins do Mar & Companhia, navegar de catamarã pelas piscinas naturais, à noite saborear uma boa pizza, esbaldar nos doces de seu Antonio, aconchegar na Pousada… Mas o impagável é o banho de mar no final de tarde na praia da Paripueira, de água morninha, ficar horas só olhando entardecer e nada mais…

Muito simples, assim é Paripueira, veja o roteiro para o final de semana:

Lagostins ou isca de peixe? O Mar e Companhia é restaurante e receptivo. Lá é o ponto de apoio para os turistas navegarem até as piscinas naturais da Paripueira - aliás, os nossos visitantes conhecem mais as piscinas naturais que nós, os nativos. Para almoçar, o camarão jangadeiro é um espetáculo: vem escoltado com arroz e batatas fritas. Também merecem atenção os lagostins grelhados e a isca de peixe na companhia da Itaipava: é dez.

Lagostins ou isca de peixe? O Mar e Companhia é restaurante e receptivo. Lá é o ponto de apoio para os turistas navegarem até as piscinas naturais da Paripueira – aliás, os nossos visitantes conhecem mais as piscinas naturais que nós, os nativos. Para almoçar, o camarão jangadeiro é um espetáculo: vem escoltado com arroz e batatas fritas. Também merecem atenção os lagostins grelhados e a isca de peixe na companhia da Itaipava: é dez.

7 - Na rodovia AL 101 Norte, a pizza é das boas e adorei a pizza de brócolis especial (queijo gorgonzola, mussarela, brócolis refogado no alho com azeite e tomate seco). Pizza a Lenha - funciona de terça a domingo, das 18 até as 23h. Telefone: 3293. 2222 - Paripueira - Aceita cartão

Na rodovia AL 101 Norte, a pizza é das boas e adorei a pizza de brócolis especial (queijo gorgonzola, mussarela, brócolis refogado no alho com azeite e tomate seco). Pizza a Lenha – funciona de terça a domingo, das 18 até as 23h. Telefone: 3293. 2222 – Paripueira – Aceita cartão

Brasileiras de seu Antônio, o melhor doce de Paripueira. Ele vende cocadas, mousse e outros doces nas barracas, mas só em finais de semana e feriados. Tudo é perfeito, feito por ele e sua esposa, mas o destaque é a brasileira (tipo bolacha). Além da farinha, ovos e manteiga, ela tem um pouco de leite condensado que deixa a iguaria super macia! Com cafezinho é muito mais que perfeito. Preço dos doces do Antonio: R$ 2,00 – claro, por este preço, não aceita cartão. Telefone: 9351. 7028

Brasileiras de seu Antônio, o melhor doce de Paripueira. Ele vende cocadas, mousse e outros doces nas barracas, mas só em finais de semana e feriados. Tudo é perfeito, feito por ele e sua esposa, mas o destaque é a brasileira (tipo bolacha). Com cafezinho é muito mais que perfeito. Telefone: 9351. 7028

Camarão crocante – A barraca do Osvaldo é fantástica, escondida entre coqueiros, oferece uma sombra muito aconchegante, chega dá preguiça de tomar banho de mar. Comandada pelo Osvaldo, o sucesso do bar é o camarão crocante, criação do próprio alagoano, sequinho por fora e macio por dentro, come-se brincando. Já o polvo com gengibre e ervas é no capricho. Resumindo: a barraca do Osvaldo é uma excelência, tiragostos de primeira. Mas, em breve ele será tema no meu post. Barraca do Osvaldo  funciona das 10 até as 16h - de terça a domingo - Aceita cartão

Camarão crocante – A barraca do Osvaldo é fantástica, escondida entre coqueiros, oferece uma sombra muito aconchegante, chega dá preguiça de tomar banho de mar. Comandada pelo Osvaldo, o sucesso do bar é o camarão crocante, criação do próprio alagoano, sequinho por fora e macio por dentro, come-se brincando. Já o polvo com gengibre e ervas é no capricho.  Barraca do Osvaldo funciona das 10 até as 16h – de terça a domingo – Aceita cartão

As piscinas naturais Paripueira estão entre as mais preservadas de Alagoas

As piscinas naturais Paripueira estão entre as mais preservadas de Alagoas

 

 

 

 

 

Postado às 0:40, Nide Lins seja o primeiro a comentar! postado em Geral |
02/01/2015

Pastel do Chico, vencedor de dezembro

Pastel do Chico nos sabores de carne, queijo, misto e mistão, tradição de 22 anos no bairro do Prado

Número um: Pastel do Chico nos sabores de carne, queijo, misto e mistão, tradição de 22 anos no Prado

Chegamos a 2015, que felicidade! Mas antes de anunciar novos sabores e destinos para este ano, que já começa saboreando a cultura no “Maceió, 200 anos verão”, todos os sábados deste mês, vamos lembrar os vencedores de acesso de dezembro de 2014. O tradicional pastel do Chico, bem nascido no bairro Ponta Grossa, que há 22 anos mantém o mesmo sabor, obteve 3.394 acessos. Em segundo lugar com 1.624 ficou a criatividade do chef Deco, com seus sandubas artesanais, (tradição de Nova Iorque) no trailer da Antiga Amélia Rosa . A Pousada Barra Velha, na cidade de Maragogi, um lugar delicioso na praia de Peroba, arrematou 1500 curtidas.

Veja o resumo destes empreendimentos alagoanos que conquistaram os internautas. Pra semana tem os dez mais acessados do ano de 2014.

Um 2015 com mais sabor e viagens de felicidades pra todos meus leitores.

Sucos de cajá e graviola, há 22 anos mantêm a mesma qualidade

Sucos de cajá e graviola, há 22 anos mantêm a mesma qualidade

Chico, tradição de 22 anos

Pastel do Chico é uma tradição alagoana, a história da lanchonete começou há 22 anos, na Rua Cabo Reis, 610, e até hoje a iguaria mantém a mesma qualidade e os sabores de carne, queijo, misto e mistão. O Chico é avesso à entrevista e as fotos, mas a sua esposa Maria das Neves, sempre atenciosa, e claro uma das responsáveis pelo sucesso do pastel, com sorriso aberto relata a história da micro empresa familiar. “No começo não tinha pastel, só lanches. Um amigo da família ensinou a fazer o pastel, e pegou, tanto que os outros salgados desapareceram”, conta Maria das Neves.

Para beber, invista nos sucos, além de mais saudáveis, são perfeitos. Eles são feito de polpas (marca Pomo) de cajá, mangaba, graviola e maracujá, e se faltar estes sabores seus fieis fregueses reclamam, e com justa razão, são ótimos que nem parecem ser feitos de polpas congeladas.

Rota do Pastel do Chico

Preço – R$ 2,50 e R$ 4,00 (mistão) / Não aceita cartão, só dinheiro/ De segunda a sexta das 7h30 até 12h30 e das 13h30 até 18h/ Sábado das 7 até 12h

Rua Cabo Reis, 610 – Ponta Grossa. Telefone – 8811.5302/ 8879.9776

. O sanduba número um de pedidos é o Black Rib, que vem recheado com carne de costela bovina, maionese especial black beef (a base de queijo cream cheese, muçarela  (escreve assim mesmo), molho barbecue (molho de tomate agridoce) e bacon.

. O sanduba número um de pedidos é o Black Rib, que vem recheado com carne de costela bovina

Sanduba do Deco

Desde o dia 16 de agosto do ano passado, um trailer instalado na Avenida Amélia Rosa vem conquistando os paladares dos alagoanos e turistas. Não tem garçom e ainda tem filas quilométricas, mas quando a comida é boa tudo vale a pena. O nome do empreendimento é “The Black Beef”, e oferece sandubas tipicamente americanos nascidos nas ruas de Nova York, mas também tem o toque brasileiro com os brigadeiros que remetem a infância. A ideia chegou a Maceió com o chef Deco Sadigursky, que morou na terra do Tio Sam nos anos de 2005 e 2008.

Black Beef com pão australiano (preto e agridoce) e recheado com Burger artesanal bovino, double de cheddar e cebolas caramelizadas

Black Beef com pão australiano (preto e agridoce) e recheado com Burger artesanal bovino

Os sandubas do chef Deco, ou melhor, Burger, a fabricação é artesanal. “Tive o cuidado de escolher meus fornecedores, a carne compro todo dia no Aldebaran Carnes. Ela vem embalada a vácuo e na nossa cozinha adicionamos os temperos. A nossa diferença é o frescor da carne. Ela não pode ser usada no outro dia”, conta Deco.
Para os burgers ficarem macios são usados vários tipos de carnes, cupim, costela bovina e acém. O sanduba número um de pedidos é o Black Rib, que vem recheado com carne de costela bovina, maionese especial black beef (a base de queijo cream cheese, muçarela (escreve assim mesmo), molho barbecue (molho de tomate agridoce) e bacon. Olhe, é muito boa a combinação dos ingredientes, e o pão tipo seda deixa saudades.
Rota The Black Beef (Carne negra)

Preços dos sandubas – R$ 18,00 e R$ 20,00 – Aceita cartão / Para beber: sucos artificias, cervejas e refrigerantes/ Na antiga Amelia Rosa – Na calçada da loja Bebê Fralda (de frente para o Boteco Paulista)/ Funciona de quarta a sábado das 19h até acabar e domingo as 19h
Dica: nos dias de domingo das 17 até as 19h é tranquilo.

 

Na Praia de Peroba, a pousada Barra Grande é o bem querer de alagoanos e turistas de todos lugares

Na Praia de Peroba, a pousada Barra Grande é o bem querer de alagoanos e turistas de todos lugares

Paraíso: Pousada Barra Velha

Domingo de manhã tem cuscuz com carneiro guisado, churrasquinho na praia, e se a noite for de lua cheia é hora de dançar e cantar no compasso do universo… Assim o tempo passa com sabor de felicidade na Pousada Barra Velha, na Praia de Peroba, na cidade de Maragogi. Neste pedacinho de mar, a Pousada Barra Velha é o coração de Peroba, uma praia serena. Na maré baixa é pra caminhar até as piscinas naturais, e na alta é pra mergulhar na água salgada relaxando o corpo e alma.

Felicidade compartilhada, assim é Barra Velha, uma das pousadas pioneiras de Maragogi, um lugar indicado para criança de qualquer idade, casal de apaixonados, família e até os solitários se encontram. Em 2015 o empreendimento completa 25 anos, e este ano festejou a conquista de 5 estrelas Excelência em atendimento, de acordo com o site de avaliações turísticas Tripadvisor. Só para lembrar, neste site o próprio cliente avalia o meio de hospedagem.

Piscina e um chalé para ler, olhar e relaxar no barulhinho do mar

Piscina e um chalé para ler, olhar e relaxar no barulhinho do mar

A pousada é um sonho do pernambucano Luiz Cláudio Melo, carinhosamente conhecido como Lula. “Construí uma casa de praia em Maragogi para minha família”, diz Lula, mas o destino revelou outros caminhos e ele seguiu em frente. E da casa nasceu a pousada com quatro suítes, que só funcionava nos finais de semana.

Mas os apartamentos e uma bela praia foi o chamariz, e logo surgiu hóspede para todo dia. A partir daí a pousada não parou de crescer. Atualmente, os seus 29 apartamentos e chalés são pequenos para atender a demanda dos fãs, tanto que as principais datas, carnaval, réveillon e feriadões,têm lista de espera.

No café da manha: carneiro ao vinho com cuscuz, mas só no dia de domingo

No café da manha: carneiro ao vinho com cuscuz, mas só no dia de domingo

Rota da Pousada Barra Velha

Diária para casal com café da amanhã a partir de R$ 214,00 (apartamento). Criança até seis anos é free.

Endereço: Rodovia AL-101 Norte, Praia de Peroba, Maragogi, Alagoas. Mais informações: Telefones: 82 3296.8105 | 82 3296.8132

http://blog.tnh1.ne10.uol.com.br/nidelins/2014/12/08/praia-de-peroba-o-cantinho-da-felicidade/

 

 

 

Postado às 11:08, Nide Lins seja o primeiro a comentar! postado em Geral |
29/12/2014

Licor de maracujá para brindar 2015

Laco papo, licor de maracujá, tradição do Engenho Varrela, agora no novo Sur O laco papo é um licor de maracujá servido bem geladinho, refrescante, delicioso... A bebida é bem nascida no Engenho Varrela, em São Miguel dos Campos, das famosas Irmãs Rocha.  A fabricação da iguaria é caseira e, segundo a dama da gastronomia alagoana, Yêda Rocha, no Engenho tinham duas senhoras bem velhinhas que conheciam o saber e o fazer do licor. “Aprendemos com elas”, lembrou Yêda. A origem do nome ninguém sabe ao certo. Mas a felicidade é que o laco papo está no cardápio do novo restaurante Sur .

Livro Delícias da Cozinha: laco-papo, licor de maracujá, tradição do Engenho Varrela. Servido bem geladinho é refrescante e delicioso… Uma boa receita para começar o ano novo com sabor alagoano

No sítio Mangabeiras, lugar onde morei, os ramos dos pés de maracujá se entrançavam na cerca, entre as folhas.As flores lilás eram a beleza do jardim. Delas brotava o fruto amarelinho, e quanto mais enrugado, melhor para preparar o suco da fruta azedinha.

A fruta que inspirou a canção  de João Donato: “Flor de Maracujá” – Lá no avarandado na luz do meio dia/O segredo nos teus olhos tanta coisa me dizia/O cabelo solto ao vento, o teu jeito de olhar/E no seu corpo moreno, a flor de maracujá. Também é história de sabores orquestrados pelas famosas  irmãs Rocha.

Da cozinha do Engenho Varrela, lar das irmãs Rocha, nasceu o licor de maracujá batizado de “Laco-paco” . Servido bem geladinho, refrescante, delicioso… A fabricação da iguaria é caseira e, segundo a dama da gastronomia alagoana, Yêda Rocha, no Engenho tinham duas senhoras bem velhinhas que conheciam o saber e o fazer do licor. “Aprendemos com elas”, lembrou Yêda.

livros “Delícias da cozinha alagoana” e “Doçuras do Mundo Todo” pela Imprensa Oficial Graciliano Ramos e com patrocínio Usina Coruripe

Os livros “Delícias da cozinha alagoana” e “Doçuras do Mundo Todo”ganharam uma nova edição da Imprensa Oficial Graciliano Ramos e com patrocínio Usina Coruripe

A receita do Laco Papo (veja no final como fazer) e outras tantas do Engenho Varrela estão publicadas na nova edição dos livros “Delícias da cozinha alagoana” e “Doçuras do Mundo Todo” pela Imprensa Oficial Graciliano Ramos e com patrocínio Usina Coruripe. O lançamento será na segunda-feira, dia 29 de dezembro, às 19h, na livraria Leitura, Parque Shopping Maceió. A culinarista Yêda Rocha Jucá estará no local autografando os livros.

A iniciativa merece aplausos, pois os livros traduzem bem a mistura que transformou a gastronomia do estado em uma das mais ricas do Brasil.

No livro Delícias da Cozinha Alagoana estão receitas de pratos que revelam a influência negra, indígena e portuguesa na culinária brasileira. São frutos do mar, mangue, do rio e da lagoa; de aves, carnes e miúdos; acompanhamentos; iguarias do café alagoano e lanches, tira-gostos e bebidinhas. O livro, que traz pequenas histórias de algumas das receitas criadas ou obtidas pelas irmãs Rocha, teve cinco edições anteriores, todas esgotadas. No segundo livro, Doçuras do Mundo Todo, o leitor aprenderá a preparar saborosos bolos, tortas, pudins, cocadas e outros quitutes de dar água na boca. Sempre de forma descomplicada, com ingredientes fáceis de encontrar.

Bolo de rolo, uma especialidade da Yêda Rocha

Bolo de rolo, uma especialidade da Yêda Rocha

Os livros são mais tempero no movimento #EuComoCultura dos chefs que defendem a gastronomia como bem cultural. O livro é de dar água na boca, o natal já passou, mas vale e muito comprar e presentear os amigos em qualquer época do ano. E como brinde, a receita do licor Laco-paco (maracujá).

Licor Laco- Paco

Ingredientes: 30 maracujás/ 400g de açúcar triturado Coruripe/ 1 garrafa de aguardente de boa qualidade

Preparo: Escolha os maracujás de boa qualidade e, de preferências maduros. Faça uma calda forte com açúcar e água. Junte na panela a polpa de maracujá. Retire do fogo e acrescente a aguardente. Deixe em infusão numa vasilha tampada até esfriar. Passe várias vezes em peneira fina de plástico, forçando com uma colher para aproveitar o máximo a polpa. Coe mais de uma vez, engarrafe e guarde na geladeira. O laco-polpa fica licoroso.

 Saiba mais

O projeto gráfico dos livros é do designer Thiago Oliveira, editor de arte da Imprensa Oficial, que desenvolveu ilustrações exclusivas que remetem ao universo gastronômico.

 

AS IRMÃS

Não é exagero dizer que as irmãs Rocha criaram um repertório alagoano de receitas. Muitas delas são presenteadas por amigas ou transmitidas ao longo das gerações, outras vindas até mesmo de outros continentes, recebendo aqui um toque original, como as próprias culinaristas, nascidas num engenho de açúcar, costumam ressaltar.

As irmãs Rocha eram seis, nascidas entre 1920 e 1933, e criadas no antigo Engenho Varrela, no município alagoano de São Miguel dos Campos. Hoje, apenas uma delas está viva, dona Yêda Rocha Jucá, 82. Foi após um encontro com o apresentador Chacrinha, lembra ela, que as irmãs começaram a pensar, anos mais tarde, em resgatar as receitas originárias do engenho onde haviam vivido a infância.

Assim, em 1997, saiu a primeira edição do livro Delícias da Cozinha Alagoana, com boa parte das receitas aprendidas em meio aos fornos do Engenho Varrela.

Hoje, o neto de Yêda Rocha, o chef de cozinha Sérgio Jucá, dá continuidade ao legado da família através do restaurante Sur, eleito há um mês o melhor do Nordeste.

 

Rota Livros das Irmãs Rocha

Coquetel de lançamento Box Irmãs Rocha/ Sessão de autógrafos com Yêda Rocha Jucá

Data: 29 de dezembro, às 19h/ Local: livraria Leitura, Parque Shopping Maceió

Aberto ao público

 FICHA

Box Irmãs Rocha – Delícias da Cozinha Alagoana e Doçuras do Mundo Todo

Editora: Imprensa Oficial Graciliano Ramos

Páginas: Delícias da Cozinha Alagoana (196 págs.)

Doçuras do Mundo Todo (250 págs.);

Preço: R$ 50 (o box com os dois livros)

 

Onde encontrar: Imprensa Oficial Graciliano Ramos (Av. Fernandes Lima, s/n, KM 7, Gruta); Banca Porto Seguro (Av. Fernandes Lima, s/n, Farol); Leitura Livraria (Shopping Parque Maceió – Av. Comendador Gustavo Paiva, 5945, Lj 2034, Cruz das Almas); Livraria Edufal (Ufal – Cidade Universitária, s/n, Tabuleiro dos Martins); Viva Livraria (Av. Dr. Antônio Gomes de Barros, 625, Edifício The Square Park Office, loja 2)

 

Postado às 9:36, Nide Lins seja o primeiro a comentar! postado em Gastronomia, Receitas |

Arquivos