Nide Lins
07/07/2015

Santo Burguer, Pousada Jirituba e Divino Aipim: campeãs de junho

 

Milagre do mês: hambúrguer de costela suína, queijo coalho, folhas crocrante de couve e molho de maionese com pimenta, mas leve

Milagre do mês: hambúrguer de costela suína, queijo coalho, fios de couve e maionese de chipotle

O hambúrguer artesanal entrou definitivamente para a vida dos alagoanos, e dos turistas também. A postagem como o recém inaugurado Santo Burguer conquistou o primeiro lugar de acesso com 2.556. O empreendimento do jovem casal Henrique e Erika Brêda começou muito bem. Já a pousada Jirituba, no município de Barra de Santo Antônio, ficou em segundo lugar com 1.552; e, em terceiro, as comidinhas de macaxeira do Divino Aipim conquistaram corações e estômagos com 1.273 acessos. Então, vamos recordar.

Santo Hambúrguer, o sanduba que dá nome a casa e cerveja artesanal para harmonizar

Santo Burguer, o sanduba que dá nome a casa e cerveja artesanal para harmonizar

O Santo Burguer prometeu a cada mês criar um novo sabor de hambúrguer, e a partir do dia 8 (quarta-feira) entra em cartaz o Milagre do Mês. Será um pão recheado com 180g de costela suína, queijo coalho e couve crispy (bem fininha).  Mas o arremate final é a maionese de chipotle (pimenta seca e defumada). Tive o privilégio de provar – claro, alguém tem que ser cobaia das experiências científicas… E, confesso, foi muito difícil só comer um, porque dá vontade de repetir, afinal, a carne da costela suína é show, macia e suculenta. Até o queijo coalho é brando. Lembrete importante: por dia serão produzidos 30 milagres; então, os primeiros serão sortudos.

De sobremesa, brigadeiro é sempre bom

De sobremesa, brigadeiro feito pelo Moacir Breda é sempre bom

Outra novidade da casa são os brigadeiros do Moacyr Breda da A Brigaderia (@a_brigaderia). O doce é vendido em casal. Aprovado também. Os hambúrgueres são elaborados também no dia, usando a mistura de três carnes (acém, patinho e peito). Agora, a quantidade das carnes é segredo do cozinheiro Henrique Amorim (ele prefere ser chamado assim em vez de chef), um paulista apaixonado por Maceió

Santo Burguer – Av. Dr. Antonio Gomes de Barros (antiga Amélia Rosa), 525 – Funcionamento: quarta a domingo, das 18h às 0h/ Instagram:@santoburger

Para saber mais sobre Santo Burguer leia a postagem:  http://blog.tnh1.ne10.uol.com.br/nidelins/2015/06/16/hamburgueres-nos-ceus/

Nova pousada Jirituba, na cidade de Barra Santo Antônio, convite para viver e comer bem

Nova pousada Jirituba, na cidade de Barra Santo Antônio, convite para viver e comer bem

 Pousada Jirituba

A praia de Carro Quebrado é uma das mais belas e desertas de Alagoas. Chegar até ela é uma aventura e, em alguns trechos, com a maré alta, ninguém passa. Mas quem deseja curtir todas as nuances daquela orla, deve agendar uma viagem até Barra de Santo Antônio, Litoral Norte de Alagoas, que recentemente ganhou uma nova pousada – Jirituba, endereço indicado para quem gosta de curtir a vida e comer bem. A Pousada Jirituba está operando no sistema soft open; traduzindo para nosso português, em período de treinamento, mas oferece conforto nos apartamentos, ótima piscina e bom café da manhã.

O colorido do café da manhã da Pousada Jirituba

O colorido do café da manhã da Pousada Jirituba

O restaurante é aberto ao público sob o comando do sócio diretor e chef de cozinha, o italiano Enzo Borella. A lagosta é uma das estrelas da casa. Mas sempre consulte antes de pedir, porque nem sempre estão gigantes. O bichinho é pescado em alto mar e chega fresquinho na cozinha, lá recebe todo carinho do chef auxiliar, o alagoano Alessandro Almeida. Ele corta e tira a casca da cauda, deixando pronta para ser devorada ao molho de ervas, pimenta e azeite. Para acompanhar,   veja as sugestões do chef na carta de vinhos da Jirituba.

Detalhe do apartamento da Pousada Jirituba

Detalhe do apartamento da Pousada Jirituba

Pousada Jirituba – Av. Pedro Lopez Vasconcelos-Loteamento Paraiso-Quadra H-Lote 46,47, Barra de Santo Antônio, Litoral Norte de Alagoas – Telefone: (82) 99310.8000 (Whastapp).

Veja mais sobre Jirituba: http://blog.tnh1.ne10.uol.com.br/nidelins/2015/06/24/proximo-destino-jirituba/

Cuscuz de macaxeira recheado com charque coberto com creme de macaxeira e queijo. Nota 10

Cuscuz de macaxeira recheado com charque coberto com creme de macaxeira e queijo. Nota 10

Divino Aipim –  Uma das receitas de sucesso da cafeteria Divino Aipim (fecha nos dias de quartas) é o cuscuz de macaxeira. Para prepará-la, a raiz é ralada crua, depois espremida, à massa é misturado coco ralado.  Finalmente recebe o recheio de charque acompanhado por pequenos pedaços de legumes; a manteiga do Sertão confere aquele sabor especial… Para acompanhar? Café bem quentinho, lógico. A casa é comandada pela  Eva e as filhas Edva, Poly e Hannah (formada em gastronomia) e o filho Hipolysson.

Adorável aipim com costelinha cozida

Adorável aipim com costelinha cozida

A macaxeira, raiz mais brasileira, é a essência da casa alagoana. Também conhecida no sudeste como aipim é um ingrediente legado à posteridade pelos indígenas.~O Divino Aipim merece mais de uma visita, e pode viciar.

 Divino Aipim – Antiga Amélia Rosa,  (atual Av. Dr. Antônio Gomes de Barros), 546 – Jatiúca – Telefone: (82)3026-2651. Depois do Clube Lyon em direção ao shopping Maceió.

Veja mais sobre Divino Aipim: http://blog.tnh1.ne10.uol.com.br/nidelins/2015/06/03/macaxeira-brasileirissima/

Postado às 0:15, Nide Lins seja o primeiro a comentar! postado em Geral |
05/07/2015

Balaio Cultural: Simone Bert, Chef

Curtidos no limão – Os cebiches (pescados marinados no limão) são os mais queridos do restaurante. O batizado de Nazca é uma mistura de peixe, polvo e camarão, que vem escoltada por batata-doce, pimenta aji, caldo de limão, azeite, gengibre, milho e molho shoyu. Mais que perfeito! O marcante é a qualidade dos pescados, com cortes delicados, e, especialmente, o equilíbrio da acidez primorosa. Uma viagem ao Peru.

Curtidos no limão – Os cebiches (pescados marinados no limão) são os mais queridos do Wanchako

Uma reportagem do jornal Folha de São Paulo estampou o titulo: “Temperei Maceió com aji”. A manchete era sobre Simone Bert, do restaurante Wanchako. Aquele foi mais um dos reconhecimentos do talento da alagoana que, recentemente, no Prêmio Dólmã, trouxe pra casa o titulo de melhor chef do Estado.

O Wanchako tem 19 anos de sabores peruanos. Muita gente viaja para conhecer o famoso restaurante que projetou Maceió no cenário da boa gastronomia no Brasil. Sucesso conquistado dia a dia, por ela e seu amado José. No começo, o casal vendeu o carro para investir no restaurante e saíam às compras em bicicletas.

Chef Simone, mais um prêmio para Alagoas

Chef Simone, mais um prêmio para Alagoas

Naquele início ninguém sabia o que era comida peruana. Muitos confundiam com a culinária mexicana e logo pensavam: “Tem muita pimenta…”. O povo fugia como o diabo foge da cruz, e a inocente aji, pimenta peruana, levou toda culpa.  Em duas décadas de história nesta batalha, Simone formou sua equipe de cozinheiros, a maioria antes gente de tarefas simples, como lavadores de prato, ou específicas, como jardineiros, mas neles ela enxergou talento. E a nova geração segue o caminho, pois seu filho Rick Bert comanda mais um endereço Wanchako, no hotel Jatiúca.

Simone com seu primeiro mestre, o seu pai

Simone com seu primeiro mestre, o seu pai João Simões

Nos temperos da Simone tem as sabedorias do seu pai, o alagoano João Simões, e da sua sogra, a peruana Carlota Bert. Os dois foram os primeiros mestres dela. Ele ensinou à filha todos os segredos do pescado, desde a captura até o tratamento. Já a sua sogra ensinou o bê-á-bá da culinária tradicional do Peru, rica em grãos, batatas, coentro e pimenta aji.

João e Carlota abriram os caminhos para Simone, que também recebeu os ensinamentos dos chefs peruanos Humberto Sato (especialista em comida nikkei – mistura das culinárias peruana e japonesa) e Gaston Acurio.

Simone com seu filho Rick Bert, herdeiro da cozinha do Wanchako

Simone com seu filho Rick Bert, herdeiro da cozinha do Wanchako

Assim, a alagoana segue em frente com a sua cozinha criativa, proporcionando viagens inusitadas ao céu da boca.

Prêmio Dólmã 2015 é da Simone Bert, do Wanchako. É nosso. É alagoano.

Chef Simone Bert com Tina Purcell, Antônio Martins, Wanderson Medeiros e Lucas Padilha(Prêmio Dólmã 2014). Bravo!

Chef Simone com Tina Purcell, Antônio Martins, Wanderson Medeiros e Lucas Padilha(Prêmio Dólmã 2014). Bravo!

Os meus prediletos do Wanchako

Viagem: combinação de camarão com feijão preto, papa de feijão preto e fios de batata doce palha

Viagem: combinação de camarão com feijão preto, papa de feijão preto e fios de batata doce palha

No Hotel Jatiúca: polvo al olivo, um manjar dos deuses incas preparado pelo chef Rick, herdeiro do talento da mãe Simone Bert

Polvo al olivo com cebolas roxas e maionese de azeitona roxas, manjar dos deuses incas

Merengue de morango, a mais querida do Wanchako

Merengue de morango, o doce mais querido do Wanchako

Wanchako (Restaurante da Associação da Boa Lembrança)

  1. São Francisco de Assis, 93, Maceió – Telefone:(82) 3377-602
  2. Hotel Jatiúca – Rua Dr. Mario Nunes Vieira, 220 – Mangabeiras – reservas: Fone: (82) 2122-2000

 

 

Postado às 12:35, Nide Lins 1 comentário postado em Geral |
03/07/2015

Mamma mia: Sopa do mar italiana, e muito mais

 

Basilico: sopa de frutos do mar, tradição italiana com os pescados alagoanos

Basilico: sopa de frutos do mar, tradição italiana com os pescados alagoanos

Zuppa di pesce: sopa de frutos do mar, uma tradição do sul de Itália e da culinária mediterrânea, está agora à sua disposição em solo alagoano.  Ao molho de tomate, contém lula, polvo, mexilhão, taioba, camarão, maçunim  e lagostim. Quentinha e saborosa para o nosso inverno ameno. Para acompanhar, torrada de pão feito pela chef Lory Dori, do restaurante Basilico (Manjericão).  Finalize com fios de azeite extra virgem. Afinal, a proposta da casa é a autêntica gastronomia Italiana em Maceió.

Lory faz questão de visitar os comensais nas mesas. Apresenta os produtos trazidos da sua terra natal, só não conta todo segredo da sua cozinha. Na preparação da sopa cada item é cozido separadamente, e depois recebe o molho de tomate, também receita da casa. “Tem um segredinho, mas Lory não conta”, diz a chef entre sorrisos.

Degustação: neste ângulo da foto o molho de Porcini que são cogumelos italianos.

Neste ângulo da foto massa caseira com molho de Porcini, cogumelos italianos

Além dos frutos do mar, pães e massas são de fabricação própria. Em sua recente viagem pela Itália, ela trouxe várias preciosidades , a exemplo do cogumelo porcini (dos melhores que já comi). Ele não pode ser arrancado pela raiz, tem quer ser cortado para continuar a reprodução do fungo. Lembrete: quando o porcini acaba, o prato sai de cartaz.

Roteiro do Basilico

Maravilha: torradas com queijo e peixe azul dos mares italiano

Maravilha: torradas com queijo e peixe azul dos mares italiano

Peixe azul – Torradas com queijo ficaram mais saborosas com as anchovas, renomado peixe azul, presente em grande quantidade no mar italiano, mais molho de azeite e ervas. Esta entrada é divina.

Filé na manteiga de ervas com molho de cogumelos porcini

Filé na manteiga de ervas com molho de cogumelos porcini

Filé – Italiano também faz bem carnes. O filé mignon, batizado de tagliata (carne fatiada) com porcini é mais pura verdade. A carne vai à chapa, e aos poucos é pincelada com a manteiga sem sal misturada com alecrim, sálvia e outras ervas. O arremate final é o molho dos cogumelos. Lembrete:  A tradição italiana do filé é mal passado.

Carpaccio de carne, produzido na cozinha do restaurante e lascas de parmesão

Carpaccio de carne, produzido na cozinha do restaurante e lascas de parmesão

Parmesão – Carpaccio de carne (fatias finíssimas) com lascas de parmesão italiano, folhas de rúculas e azeite, entrada mais leve, acompanhada de duas torradas de pão e azeite com ervas.

Talharim a Toscana com molho de tomates frescos, linguiça magra, cebolas, e para acentuar mais o sabor entra em cena as azeitonas, queijo parmesão e manjericão

Minha paixão: talharim a Toscana com molho de tomates frescos, linguiça magra, cebolas, e para acentuar mais o sabor entra em cena as azeitonas, queijo parmesão e manjericão

Basilico é uma ótima referencia de casa italiana. E a chef Lory preza pela tradição do seu país. Com auxilio dedicado do seu esposo, Stefano, investiu na própria horta, cultivando manjericão, salsa e até plantaram pés de limão siciliano, para produzir o limoncello (licor de limão). Sem a acidez típico da fruta, o sabor é refrescante, gelado, delicado, perfeito . Detalhe: a casa tem massa sem glúten, mas não é caseira

Chef Lory, mestra das tradições italianas em Maceió

Chef Lory, mestra das tradições italianas em Maceió

O ambiente é simples, duas TVs apenas para exibir musica italiana –  por sinal boa seleção musical – e nada de programação de jogos, noticiários, novelas.  E ainda conta com boa carta de vinhos e com outra característica forte, a simpatia dos donos.

Doce tradição:

Doce tradição: tiramisú, uma receita feito com ovos, queijo mascarpone e biscoito champanhe umedecido no café

Rota Basilico ristorante italiano

Preço: entradas a partir de R$ 12,00. Prato principal: a partir de R$ 28,00

Antiga Amélia Rosa, 186 – Jatiúca – Telefone: 3432.7553 – Horário de 11 até as 23 horas. Fecha na terça

Aceita cartão

 

Postado às 9:22, Nide Lins 3 comentários postado em Geral |
02/07/2015

Pastel de bacalhau ou salada de camarão?

Pastel de bacalhau, uma das entradas do restaurante Anamá, farto e bom

Pastel de bacalhau, uma das entradas do restaurante Anamá, farto e bom

Começar pelo pastel de bacalhau (farto) ou pela salada com camarão com abacaxi ao molho de mostarda? Saborear os dois é a mais sábia decisão. Toda salada é sempre um bom primeiro passo, mas quando a gente olha pro pastel crocante… é impossível resistir!

Se o grande dilema fosse escolher o pastel ou salada de camarão, seria uma equação lógica de resolver. Mas quando deparamos com a mesa farta e colorida no Anamá é impossível resistir. Até o molho de pimenta no azeite e ervas é atraente.

Salada de camarão com frutas, um bom começo

Salada de camarão com frutas, um bom começo

Recentemente a chef mato-grossense Ana Silva aterrissou no restaurante para criar novas receitas, inspiradas na cozinha mediterrânea, rica em frutos do mar, condimentos, legumes, azeite e ervas. A salada de camarão com o molho de mostarda e iogurte ficou refrescante. E abacaxi e nozes trouxeram o agridoce ao paladar.

Molho de pimenta do Anamá, incrementado com azeite, folha de louro e ervas

Molho de pimenta do Anamá, incrementado com azeite, folha de louro e ervas

Sem muitas delongas, vamos às novidades e aos clássicos da Ana Silva:

Carne de sol com arroz vermelho, ótimo tempero

Carne de sol com arroz vermelho, ótimo tempero

Nordeste – A carne de sol desfiada vem bem casada com o arroz vermelho. O queijo coalho além de produzir mais sabor, também dá a liga necessária ao grão. Receita atraente e com tempero mais apurado.

Delicia do bobó de camarão

Delicia do bobó de camarão

Clássico – O bobó do camarão, um clássico do Anamá continua perfeito.

Tropicalismo – A nossa batata doce tão em voga chega à mesa sem  interferência, apenas machucada grosseiramente. Recebe ervas e gratinada ao forno. Leve e saborosa, ideal para acompanhar as carnes.

Pernil de porco com farofa de ervas

Pernil de porco com farofa de ervas

Ervas – a nova farofa da chef Ana Silva ganhou ervas (manjericão, hortelã, coentro, cebola e alecrim) preparada na manteiga de garrafa e farinha quebradinha (bem mais saborosa que a fina) combina com o pernil de porco grelhado marinado no limão e sal.

Feijão com legumes, simples e saboroso

Feijão com legumes, simples e saboroso

Repetir – O Anamá tem receitas mais elaboradas, mas o feijão é brasileiríssimo, os grãos vêm numa calda grossa e legumes. Simples e bom.

Cheesecake com doce de goiaba feito na cozinha do Anamá

Cheesecake com doce de goiaba feito na cozinha do Anamá

Divino - Cheesecake de goiabada é sobremesa clássica feita com massa de biscoito e recheio de queijo. Uma maravilha sem ser muito adocicada, por conta do queijo; porém, a beldade é a cobertura do doce de goiaba caseiro.

Torta trufada, uma declaração de amor ao chocolate

Torta trufada, uma declaração de amor ao chocolate

Vicio – A nova torta trufada de chocolate vem com pedaços da iguaria. O doce é indicado para os apaixonadas pelo cacau.

Ambrosia, doce de leite com raspas de limão

Ambrosia, doce de leite com raspas de limão

Limão – Ambrosia (doce de leite) é o clássico da casa, mas graças as raspas da casca de limão fica ainda mais notável.

Anamá foi o nome escolhido pelo empresário Brandão Junior, que em Tupi Guarani significa “família”. “O restaurante é o lugar da família, por isso escolhemos este nome, também é lugar de comida brasileira, tem peixe, feijão, camarão, sucos da fruta, doces com qualidade e criatividade da chef Ana Silva”, diz Brandão. No além do bom buffet da chef Ana Silva, também está inovando no cardápio de eventos.

A chef Ana Silva assina o novo menu do Anamá

A chef Ana Silva assina o novo menu do Anamá

Rota do Anamá

Almoço no sistema de buffet de segunda à sexta-feira Preço: R$ 59,90 (quilo)
feriados, sábados e domingos Preço: R$ 63,90 (quilo) – Noite: serviço é la carte e petiscos
Endereço: Av. Silvio Carlos Luna Vianna, 2501, Ponta Verde-  Telefone: (82) 3305-4405

Sucos saudáveis, ótima dica pro verão

Sucos saudáveis, ótima dica do Anamá

No fim de tarde: De segunda a sábado tem promoção da cerveja no Anamá Pasteis do Anamá ótima parceira da cerveja

No fim de tarde: de segunda a sábado tem promoção da cerveja no Anamá. Para acompanhar pasteis

 

 

 

 

Postado às 8:01, Nide Lins 1 comentário postado em Chef na Cozinha, Gastronomia |
30/06/2015

Tapiburguer, vencedor do Brasil Sabor

Bodega do Sertão: tapiburguer, é a nossa tapioca com hambúrguer de carne de sol (caseiro)

Vencedor do Festival: tapioca com hambúrguer de carne de sol do Bodega do Sertão. Foto Vanessa Mota

Tapioca é uma iguaria tipicamente brasileira, de origem indígena, feita  a partir da massa da mandioca, conhecida como goma. É um quitute muito comum no Nordeste e Norte do Brasil. Mas coube aos africanos acrescentarem o coco ralado, e assim, não pararam de inventar, queijo, doce de leite, camarão, carne do sol…

Mas a invenção do Rodolfo Freire (futuro chef do Bodega do Sertão), de transformar a tapioca em pão de hambúrguer de carne de sol caseiro, lhe rendeu o prêmio de primeiro lugar de vendas do Festival Brasil Sabor, em Alagoas. Durante o evento da Associação Brasileira de Restaurantes e Bares (Abrasel), foram consumidos 690 “tapioburguer”.

Rodolfo Freire, futuro chef do Bodega do Sertão, criou o tapiburguer

Rodolfo Freire, futuro chef do Bodega do Sertão, criou o tapiburguer. Foto Nide Lins

Tapioburguer agradou. Em vez de pão, a tapioca recebeu hambúrguer de carne de sol (receita do Bodega do Sertão), queijo mozzarella, tomates, cebolas caramelizadas no mel e, para acompanhar, macaxeira frita com queijo, polvilhada com pedacinhos de charque.

No ano de 2014, no Bar em Bar, evento da Abrasel, o restaurante Bodega do Sertão também criou o Funí que tamb´me levou o primeiro lugar. Foram vendidos 651 . Na receita, a massa de tapioca em formato de cone ganhou salmão envolvido com queijo coalho derretido, acompanhado de mel de engenho. Uma versão oriental Nordestina.

BODEGA DO SERTÃO - Massa de tapioca, salmão envolvido com queijo coalho derretido, acompanhado de mel de engenho. AV. JULIO MARQUES LUZ, JATIÚCA – 3327-4446.

Vencedor de Bar em Bar: tapioca, salmão,queijo coalho derretido e mel de engenho do Bodega do Sertão

A criatividade do hambúrguer nordestino trouxe ótimos sabores, a exemplo do tomate no azeite com ervas feito no forno, deixando o legume macio, como se fosse molho agregando sabor à carne. O novo talento, Rodolfo Freire, reforçou que o trabalho em equipe foi essencial para conquistar o primeiro lugar e o premio de mil reais será partilhado entre os garçons.

Também foram premiados no Festival Brasil Sabor o Anamá, com o segundo lugar com a receita de Arroz Frutos do Mar, e a Pizzaria Carlito com O chicletão de Camarão.

A inovação do tapiburguer do Bodega do Sertão conquistou os comensais e continua em cartaz, mas quem deseja aprender a fazer a iguaria veja a receita abaixo e sucesso.

 

Rota do Bodega:

Avenida Júlio Marques Luz, 62 – Jatiúca. Telefone (82) 3327-4446.

 Receita Tapiburguer

100 gr de gordura vegetal

500 gr de charque

100 gr de goma de tapioca

1 folha de alface americana

Meia colher de manteiga

3 colheres de manteiga

Um fio de azeite

150 gr de carne de sol

100g de queijo mussarela

100g de macaxeira

2 rodelas de tomate

1 rodela pequena de cebola

Modo de preparo

Pegue o tomate, corte em rodelas e regue no azeite e ervas. Leve ao forno preaquecido a 90 graus e deixe por 30 minutos até ficar suculento.

Em uma frigideira coloque meia colher de manteiga, a cebola cortada em fatias. Leve ao fogo baixo. Quando começa a dourar acrescente o mel de engenho e deixe caramelizar.

Pegue 100 gr de macaxeira cozida corte em tiras finas frite em fogo alto em gordura vegetal.

Prepare a massa da tapioca em forma de disco e reserve.

Com 150 gramas de carne de sol dessalgue e triture em ponto de carne moída e faça uma bola até ficar um formato de um hambúrguer. Em seguida numa panela aquecida coloque um fio de azeite para selar o hambúrguer.

Montagem

No prato coloque a tapioca , alface, tomate, hambúrguer, queijo aquecido e as cebolas caramelizados. Para acompanhar a macaxeira frita com queijo derretido  e acrescente o charque picado.

 

 

Postado às 10:45, Nide Lins 1 comentário postado em Gastronomia |
28/06/2015

Balaio cultural, Cesar Santos Chef

 

Livro Cesar Santos Chef, leitura saborosa para os amantes da cozinha brasileira.

Livro Cesar Santos Chef, leitura saborosa para os amantes da cozinha brasileira.

No nosso Brasil, se fabrica ídolos sem nem a gente escolher. Eu já tenho os meus, entre eles, o chef Cesar Santos, de sorriso aberto, abraço fraterno e simpatia farta.  Quando o bom pernambucano começou, em 1980, nem tinha cozinha, usava a da sua irmã Edneide para fazer salgados. A gastronomia naquele tempo não tinha o glamour de hoje, mas a fama de quituteiro de mão cheia correu pelas ladeiras de Olinda.  Em 1993, Cesar Santos deu o passo importante no cenário da gastronomia pernambucana, e brasileira,  com o restaurante Oficina do Sabor.

Fui apresentada ao restaurante Oficina Sabor nos anos 90. Na época, trabalha na secretaria de Cultura de Alagoas, e numa viagem para conhecer um projeto da Fundação Joaquim Nabuco, em Recife, o almoço oficial da equipe foi em Olinda, no restaurante do chef Cesar Santos, famoso pela mistura de frutas com camarão.  Sem nem provar,  julguei um samba de crioulo doido, mas lá chegando, apaixonei pela decoração temática do Nordeste e a vista da cidade de Olinda. Mas a ousadia de misturar pitanga, manga aos frutos do mar  conquistou meu paladar.

Cesar Santos personagem importante no cenário da gastronomia pernambucana pro Brasil e o mundo

Cesar Santos personagem importante no cenário da gastronomia pernambucana pro Brasil e o mundo

Pois bem, a história do Cesar Santos é uma inspiração para quem sonha em trilhar a vida de chef, e agora, sua trajetória está contada em 178 páginas saborosas do livro “Cesar Santos Chef” patrocinado pelo SENAC-PE e impresso pela Editora SENAC. São páginas com receitas do chef, responsável em apresentar os sabores nordestinos para o Brasil e o mundo, e até na terra do Tio Sam. O bom pernambucano, em 1996, com outras estrelas da terra do frevo, teve a tarefa de preparar banquete pernambucanos para os gringos em Miami.

“… A farinha de trigo foi o único ingrediente brasileiro autorizado a entrar oficialmente em solo norte americano, todo o resto precisava ou ser comprado  nos mercados de origem cubana, que tinham uma linguagem culinária mais próxima da nossa, ou improvisados”, texto do livro sobre os bastidores de promover o destino Pernambucano para os americanos.

Engana-se quem pensa que vida de chef é só glamour, e Cesar Santos ressalta, a primeira escola foi sua mãe Edevilda, a segunda, o curso no Senac, e a terceira, o talento empreendedor  para abrir o restaurante.

Foto de uma das páginas sobre a história empreendedora do chef

Foto de uma das páginas sobre a história empreendedora do chef

“Ao voltar os olhos para o passado, Cesar Santos faz, inevitavelmente, uma reflexão sobre sua trajetória – dos tempos de aprendiz no Senac ao status de empresariado da gastronomia internacionalmente conhecido. A primeira delas é a necessidade de se incutir na cabeça do alunato que as escolas de culinária não formam chefs, mas um cozinheiro, um profissional munido com o básico necessário para pode atuar numa cozinha sob o comando aí sim, de um chef, cargo conferido por experiência e merecimento àqueles que conhecem as minúcias que movem um restaurante.”

“Se não tiver ninguém para lavar a louça e as panelas, a casa simplesmente não vai abrir as portas”, garante o chef – “Tenho visto alunos que se recusam a varrer um chão, que pensam que camarões vêm sempre descascados, que por terem frequentado uma faculdade, ou tem até doutorado, recusam, eliminam a regra do ‘sujou’, limpou’.”

Jerimum, um dos símbolos da cozinha do Cesar Santos

Jerimum, um dos símbolos da cozinha do Cesar Santos

O livro “Cesar Santos, Chef” não é de cabeceira, mas de cozinha, uma receita de vida, com bons exemplos de como fazer o arroz com feijão bem feito e com sabor.  Cesar Santos, assim como Paulo Martins (in memoria), de Belém do Pará, valorizam a culinária brasileira não apenas nosso território, mas pelo mundo afora.

Muita grata, Cesar Santos.

Com o chef Cesar Santos no projeto Hora Feliz da Associação dos Restaurantes da Boa Lmebrança

Com o chef Cesar Santos no projeto Hora Feliz em Maceió. Na foto com meu livro Guia da Gastronomia Popular Alagoana

Saiba mais

No dia 10 de setembro de 2014, o chef Cesar Santos  trouxe o projeto “Merenda dos Chefs” para mil crianças da Escola Frei Damião, no Benedito Bentes. No cardápio foi servido creme de macaxeira com peixe e arroz de jerimum. O evento foi realizado pela Associação dos Restaurantes da Boa Lembrança. Na entrevista, o chef disse que nunca se esqueceu da sopa de feijão com legumes servida na merenda, em sua escola, em Recife. “A gente chamava as merendeiras de tias, amava a sopa de feijão, cada aluno levava um legume para fazer”, conta o Cesar, que fez da sua memória de sabores o projeto “Hora Feliz”.

Foto do livro Cesar Santos Chef que vem com receitas do Oficina do Sabor, em Olinda

Foto do livro Cesar Santos Chef que vem com receitas do Oficina do Sabor, em Olinda

Ficha Técnica Cesar Santos Chef

Número de páginas: 178

Editora: Senac Nacional

Onde comprar: nas principais livrarias do Pais, entre elas, Viva, Cultura, Saraiva, Imperatriz

Jerimum recheado ao creme de manga (receita para o prato dos Restaurantes da Boa Lembrança )

Ingredientes:

 

1 jerimum jacarezinho com cerca de 1/2 kg
250 g de camarões Vila Franca descascados
500ml de suco de manga concentrado (cerca de 4 mangas)
1 colher de sopa de hortelã
2 colheres de sopa de azeite
2 colheres de requeijão
1 colher de chá de erva doce
1 colher de sopa de açúcar
1 colher de chá de sal
Modo de Preparo:

 

Abra o miolo em forma de tampo, retire as sementes e lave bem. Feche-o e leve ao forno para cozinhar em banho maria por 30 minutos. Reserve.
Recheio:

Junte o suco de manga e os camarões numa panela e leve ao fogo. Quando levantar fervura, acrescente os demais ingredientes e deixe cozinhar. Depois de cozido, recheie o jerimum. Adicione duas colheres de requeijão por cima, coloque o tampo e leve novamente ao forno por dez minutos. Sirva bem quente, com arroz ao curry.

Postado às 10:54, Nide Lins 1 comentário postado em Balaio Cultural |
26/06/2015

Fim de tarde promocional

De segunda a sábado tem promoção da cerveja no Anamá

De segunda a sábado tem promoção da cerveja no Anamá

Sexta-feira, fim de tarde, talvez seja a hora mais sonhada pra quem trabalha a semana inteira. E na minha Maceió tem sabor do sururu ao leite de coco, pasteis… Aproveite e adicione na receita de viver, cerveja gelada e o mar da Ponta Verde, tempero essencial para jogar conversa fora. Reúna os amigos e aproveite a promoção do restaurante Anamá, chame o garçom e peça um balde com três cervejas Budweiser  (long neck) e ganhe mais três. A promoção balde em dobro vale de segunda a sábado, das 16 até as 20 horas.

Pasteis do Anamá ótima parceira da cerveja

Pasteis do Anamá ótima parceira da cerveja

O sururu também continua divino: vem envolvido num suave molho de coco

O sururu também continua divino: vem envolvido num suave molho de coco

ota do Amaná

Av. Silvio Carlos Viana, 2501 – Ponta Verde –  Telefones: (82) 3305-4405

Postado às 15:40, Nide Lins seja o primeiro a comentar! postado em Gastronomia, Restaurantes |
24/06/2015

Próximo destino: Jirituba

Nova pousada Jirituba, na cidade de Barra Santo Antônio, convite para viver e comer bem

Nova pousada Jirituba, na cidade de Barra Santo Antônio, convite para viver e comer bem

A praia de Carro Quebrado é uma das mais belas e desertas de Alagoas. Chegar até ela é uma aventura e, em alguns trechos, com a maré alta, ninguém passa. Mas quem deseja curtir todas as nuances daquela orla, deve agendar uma viagem até Barra de Santo Antônio, Litoral Norte de Alagoas, que recentemente ganhou uma nova pousada – Jirituba, endereço indicado para quem gosta de curtir a vida e comer bem.

Barra de Santo Antônio também oferece a praia de Carro Quebrado, e a famosa Ilha da Croa (bancos de areia) entre o mar e o rio. A culinária da cidade continua em alta, a exemplo dos ilustres  bolinhos de macaxeira do seu Beto Pituba (tema de outra postagem).

Praia de Carro Quebrado: cenário exótico, encravado em vastos coqueirais e esculturais falésias

Praia de Carro Quebrado: cenário exótico, encravado em vastos coqueirais e esculturais falésias

Mas, antes, preste atenção: a Pousada Jirituba está operando no sistema soft open; traduzindo para nosso português, em período de treinamento.

Como blogueira de turismo e gastronomia, fui a primeira a ir ao “sacrifício” de provar a lagosta, o pão caseiro… e avaliar o conforto do colchão e dos travesseiros, a televisão, e até testar o chuveiro, que, por sinal, tem ótima ducha. Detalhe: dos 22 apartamentos, oito estão prontos e o restante estão em fase de acabamento.

No passeio de lancha oferece a bela visão da Ilha da Croa

No passeio de lancha oferece a bela visão da Ilha da Croa

“Trabalho árduo”, mas compensador.

Mais um ponto legal da Jirituba: o talento culinário do chef italiano e sócio gerente, Enzo Borella, que também domina bem receitas francesas.

Enfim, siga o roteiro:

O colorido do café da manhã da Pousada Jirituba

O colorido do café da manhã da Pousada Jirituba

Café da manhã – Frutas, queijos, presuntos, sucos… mas o destaque ficou por conta do pão de forma, tapioca e os bolos – todos produzidos pela cozinha da Jirituba. Ponderei para o chef Enzo a falta do toque regional da macaxeira, batata doce, inhame e cuscuz, e ele prometeu que será adicionado ao desjejum.

A pousada oferta o café da manhã, mas aceita reserva para almoço e jantar.

Carne de sol de cordeiro com feijão verde, arroz, suflê de batata e salada

Carne de sol de cordeiro com feijão verde, arroz, suflê de batata e salada

Do cordeiro a lagosta – Provei ainda a carne de sol de cordeiro (produção própria) com feijão verde, arroz de cenoura, suflê de batata e salada. Tempero bom e de tamanho ideal para uma pessoa.

A lagosta é uma das estrelas da casa. Mas sempre consulte antes de pedir, porque nem sempre estão gigantes. O bichinho é pescado em alto mar e chega fresquinho na cozinha, lá recebe todo carinho do chef alagoano Alessandro Almeida. Ele corta e tira a casca da cauda, deixando pronta para ser devorada ao molho de ervas, pimenta e azeite. Para acompanhar,   veja as sugestões do chef na carta de vinhos da Jirituba.

Pra jantar: lagosta com ervas e azeite, mas com reserva

Pra jantar: lagosta com ervas e azeite, mas com reserva

A piscina já está nos trinques, para lhe amenizar o calor. Se chover, a dica é saborear os petiscos e ser feliz.

Par curtir a praia de Carro Quebrado, a pousada vai oferecer lancha e também vai disponibilizar o passeio até as piscinas naturais (não está incluso na diária).

Em dia de chuva, a praia de Carro Quebrada vista do mirante natural

Em dia de chuva, a praia de Carro Quebrada vista do mirante natural

Viver - O passeio de bugre pelo canavial termina no mirante natural de Carro Quebrado, com a melhor visão das falésias. Se for com crianças, tome cuidado, pois o terreno é arenoso.

E fato muito interessante: mesmo com a pousada beijando o rio, não encontrei nenhum mosquito para entrevistar. Infelizmente não tive tempo de provar os caranguejos exóticos, pescado em alto mar. Esses gordinhos especiais estarão disponíveis apenas sob consulta ao chef Enzo.

Estes fofinhos são pescados em alto na mar da Barra de Santo Antônio. Pra provar é preciso fazer reserva

Estes fofinhos são pescados em alto na mar da Barra de Santo Antônio. Pra provar depende do dia da pesca

Segundo Enzo, o rio que corta a cidade é chamado Jirituba, e assim a pousada foi batizada.

Doçura - Para finalizar, como sobremesa, o Creme Brulé, legitimo doce da culinária francesa, à base da gema de ovo, leite, e açúcar refinado maçaricado (surpreendeu meu paladar). Mais um convite para retornar a Jirituba, no pacato município de Barra de Santo Antônio.

 

Creme Brulé, legitimo doce da culinária francesa, à base da gema de ovo, leite, e açúcar refinado

Aprovado: creme Brulé, legitimo doce da culinária francesa, à base da gema de ovo, leite, e açúcar refinado

Pousada Jirituba

Preço da diária (para casal): R$ 250,00 com café da manhã. Em breve terá academia.

São 22 apartamentos dos quais 8 já estão prontos para receber hospedes

Av. Pedro Lopez Vasconcelos-Loteamento Paraiso-Quadra H-Lote 46,47, Barra de Santo Antônio, Litoral Norte de Alagoas

Telefone: (82) 99310.8000 (Whastapp)

Detalhe do apartamento da Pousada Jirituba

Detalhe do apartamento da Pousada Jirituba

Pousada Jirituba

Pousada Jirituba

 

 

 

 

Postado às 22:26, Nide Lins 3 comentários postado em Meus Destinos, Para Ficar, Turismo |
24/06/2015

Gastronomia alagoana no páreo de mais um prêmio

Chef Wanderson Medeiros concorre ao prêmio de melhor chef do Brasil

Chef Wanderson Medeiros concorre ao prêmio de melhor chef do Brasil

Alagoas já adotou Wanderson Medeiros como nosso chef de coração. O menino nasceu lá na Paraíba, mas os seus quitutes, que extrapolam, deram fama a Maceió com um dos restaurantes nordestinos entre os melhores do Brasil. O chef estrelado já recebeu prêmios nacionais, e agora concorre na categoria nacional do Prêmio Dólmã. Também estão no páreo, na categoria regional, a chef Simone Bert (nossa veterana) e a nova geração, Antônio Mendes e  Cristiana Purcell (Tina). A votação é até o dia 30 de julho pela página do facebook (https://www.facebook.com/PremioNacionalDolma/app_137541772984354).

 Quem são:

Chef Simone Bert do Wanchako concorre com prêmio regional

Chef Simone Bert do Wanchako concorre ao Prêmio Dolmã

Simone Bert – Alagoana, chef do restaurante Wanchako, é pioneira não só em Maceió, mas no Brasil, com sua culinária Peruana, também coleciona vários prêmios. “Temperei Maceió com aji”, disse Simone, numa entrevista na Folha de São Paulo. Aji é uma pimenta peruana essencial para dar o sabor picante ao cebiche (frutos do mar marinados no limão) que antes ninguém sabia o que era. Hoje, o cebiche se popularizou, mas o da Simone Bert, verdade seja dita, é o melhor de todos os tempos, sem desmerecer ninguém. Agora, a mestra concorre a mais um prêmio.

Chef Antonio Mendes na disputa pelo melhor chef de Alagoas

Chef Antonio Mendes na disputa pelo melhor chef de Alagoas

Antônio Mendes – O chef alagoano foi coordenador do curso de gastronomia na faculdade Mauricio de Nassau, mas em abril deste ano iniciou sua carreira solo na cozinha do seu restaurante, a nova Selleta Saladeria, com foco na gastronomia nordestina, valorizando os produtos locais.

Cristiana Purcell concorre a melhor chef de Alagoas

Cristiana Purcell concorre a melhor chef de Alagoas

Cristiana Purcell  – Formada pelo Centro Universitário Senac/Águas de São Pedro, comandou o saudoso Bar Sanatório. O empreendimento ficou famoso com os drinques criativos Rivotril, Santo Remédio e as coxinhas de frango empanadas. Tina, como é conhecida, atualmente é Coordenadora na empresa FAT – Faculdade de Tecnologia de Alagoas e Chef na empresa Chef Consultora.

O vencedor será escolhido por meio de votação até 30 de junho. O processo está sendo realizado via internet de duas formas: através do aplicativo do Prêmio Nacional DÓLMÃ para os telefones que possuem o sistema operacional Android e através do mesmo aplicativo disponível no Facebook.

Observação: encontrei dificuldade de votar. Caso não apareça no box  o nome ENTRAR  tem que desabilitar o pop-up no alto da página à direita. A única parte chata do Prêmio, depois é fácil. Primeiro vote no melhor chef do Brasil (Wanderson Medeiros) e segue até o nome Alagoas, e lá escolhe apenas um chef (Simone, Antônio ou Cristiana).

Boa Sorte a todos chefs!

Postado às 11:13, Nide Lins 1 comentário postado em Geral |
23/06/2015

Dicas saborosas da semana

 

Pamonha sem açúcar, mas com afeto na Natureza Viva

Pamonha sem açúcar, mas com afeto na Natureza Viva

Sem açúcar – Nas minhas indicações juninas esqueci o restaurante Natureza Viva, sob a batuta da Noelia Borges, que é uma empreendedora de quem sou fã desde 2006. Com dois restaurantes na Ponta Verde e Centro, o menu tem canjicas e  pamonha para quem tem restrições aos açúcares. Pode comprar ou encomendar sem medo. A receita é da nutricionista Maria Aparecida. Também tem produtos sem glúten e sem lactose. Rua Machado Lemos, 226 -Ponta Verde – Telefone: 3357-8122/8001

O bobó de camarão do chef Joca é feito com moqueca de camarão, um dos quitutes do rodízio das quartas-feiras no Comedoria Gourmet

Bobó de camarão do chef Joca é feito com moqueca de camarão, um dos quitutes queridos do Comedoria Gourmet

Arrasta pé – O Chef Joca está armando uma quadrilha, mas para dançar um bom forro, nesta quinta-feira (dia 25), no cardápio tem comidinhas juninas,além de clássicos como o bobo de camarão. O valor será de R$ 5,00 mais um quilo de alimento não perecível. Telefone: 3313-0697

Produtos orgânicos nas terças feira no Ser-Afim

Produtos orgânicos nas terças feira no Ser-Afim

Orgânicos – Nas terças feiras tem uma pequena feira de produtos orgânicos no restaurante Ser- Afim, cozinha saudável. A produção ainda é  pequena mas oferece couve, item muito usado para o famoso suco verde. Telefone: 30263155

Rodizio de carne com bom custo benefício no Cachaçaria Água Doce

Rodizio de carne com bom custo benefício no Cachaçaria Água Doce

Argentina – Continua em alta o rodizio de carnes na Cachaçaria Água Doce, com bom custo beneficio de segunda à quinta, por R$ 39,90 (por pessoa).  A picanha argentina é a beldade da casa: chega na mesa corada, no ponto para ser devorada. E aquela gordurinha finíssima, pra esquecer que é pecado, comemos sem culpa nenhuma. Para acompanhar, aposto na salada, palmito e batata cozida. Telefone: (82) 3377-2563

Bom café da manhã na Cuscuzeria. Sucesso de cinco anos

Bom café da manhã na Cuscuzeria. Sucesso de cinco anos

Café da manhã – Além dos famosos cuscuz recheados, a Cuscuzeria café também tem o café completo, composto por ovo frito, pão assado, leite, café, presunto, queijo, cuscuz recheado e fatia de bolo. O café é ideal para começar bem o dia ou então como opção de jantar nordestino. Telefone:(82) 3021-1019

Postado às 11:33, Nide Lins 1 comentário postado em Gastronomia |

Arquivos