Nide Lins
24/07/2014

Peixe frito e caldinhos da Ilza

Alagoano: peixe cavala, feijão caseiro, arroz e farofa, simples e saboroso na praia de Riacho Doce

Alagoano: peixe cavala, feijão caseiro, arroz e farofa, simples e saboroso na praia de Riacho Doce

A trilha sonora vai de Roberto Carlos à Luiz Gonzaga, o barulhinho do mar, mesinhas e cadeiras ao sabor do vento…e mesmo com o sol tímido de julho, a cerveja gelada desce bem no singelo Bar da Ilza. Para iniciar os trabalhos do final de semana, indico os caldinhos de sururu ou de maçunim ao leite de coco, servidos em copinhos de plástico e de ótimo sabor! Mas a peixada é o carro chefe do modesto estabelecimento.

O lugar, batizado de Recanto Ilza Bar já tem 25 anos de serviços prestados em nome da boa gastronomia regional.  Quem me apresentou o lugar foi o casal de Manaus, Marnilzi e Audalio Neves, que elegeram o  cantinho alagoano para viver bons momentos, ficar olhando o mar e saboreando o “Boca Mole”, peixe parente da Carapeba.

Peixe boca mole, parente saboroso da carapeba no bar da Ilza

Peixe boca mole, parente saboroso da carapeba no bar da Ilza

Segundo a minha vó, dona Domitila, a melhor  Carapeba é aquela que quando juntam três delas, dão um quilo. Porém, nosso peixe é bem mais caro, afinal é nobre. O Boca Mole é mais em conta. E o peixinho lembra mesmo a Carapeba – visual idêntico, carne branca e saborosa.  A gente pede uma, duas e até três porções do similar e com a cerveja bem geladinha, a conversa vai longe.

As  peixadas são as estrelas do bar na Praia de Riacho Doce e, claro, a de pirão é imbatível.  Mas, como adoro feijão com arroz e peixe frito, deixei de lado o pirão e investi no feijão caseiro que vem com o toque da pimenta de cheiro. No prato vem duas postas de Arabaiana, Cavala ou Dourado (bem sequinhos) – e o melhor de tudo: o peixe é comprado direto dos pescadores da região.

Caldinho de maçunim ao leite de coco natural

Caldinho de maçunim ao leite de coco natural

O bar tem 25 anos e é um pequeno empreendimento familiar de sucesso. “Aqui não tem pressa”, avisa logo a dama da cozinha, Ilza Marques. No lugar sagrado da alagoana, as panelas são limpíssimas e, como diz, “bem arreadas”. “Tudo é feito na hora”, reforça. Então, enquanto esperam as peixadas, apreciem os bons caldinhos, pois a pressa é inimiga da perfeição.

caranguejos pequenos, mas gordinhos e saborosos

caranguejos pequenos, mas gordinhos e saborosos

Apesar de pequenos, os caranguejos Guaiamum, antes de chegar nas panelas, passam uma semana hospedados na casa da Ilza. O resultado: os bichinhos são gordinhos e saborosos, servidos apenas na água e sal.

O recanto da Ilza Bar é uma singela casa na beira-mar de Riacho Doce. É um típico boteco pés na arreia, mas a comida regional é das boas, e ainda tem o Cação. Não provei, mas fica para próxima visita.

Bolo de chocolate da Ilza para adoçar o nosso paladar

Bolo de chocolate da Ilza para adoçar o nosso paladar

Para chegar lá é preciso passar pela pracinha de Riacho Doce, onde do outro lado da pista tem os doces das boleiras produzidos em forno de barro, nos dias de sábado e domingo…Caso consigam resistir às tentações do caminho, aproveitem o bolo de chocolate da Ilza, bastante macio e gostoso!

Praia de Riacho Doce, coqueiros e bar simples, mas a comida da Ilsa é divina

Praia de Riacho Doce, coqueiros e bar simples, mas a comida da Ilza é divina

Recanto da Ilza Bar

Praia de Riacho Doce

Como chegar: depois da igreja Nossa Senhora da Conceição entra na pracinha José Emídio de Carvalho e segue até a praia – só existe uma casa, ainda sem placa.

Não aceita cartão

Peixada para duas pessoas a partir de R$ 37,00 – caldinhos R$ 3,00

Na baixa temporada funciona aos sábados e domingos, das 10 até as 17horas. Na alta temporadas de quinta a domingo

Mais informações – 3355.1334 e 8889.2814

 

Postado às 23:54, Nide Lins seja o primeiro a comentar! postado em Geral |
23/07/2014

Delícias juninas o ano inteiro

Perfeição: o bolo de milho do carrinho do Jailton é fofinho, e de tão macio quebra-se fácil,

Perfeição: o bolo de milho do carrinho do Jailton é fofinho, e de tão macio quebra-se fácil.

São João acabou neste ano, agora só no ano que vem. Mas o carrinho do Jailton, recheado com delícias juninas, funciona o tempo todo.

No post anterior escrevi sobre tendência da comida de rua preparada pelos chefs, em  trailers, com preços acessíveis, moda nova na gastronomia. Mas os tradicionais carrinhos de mão, com as guloseimas populares, estão sempre em cartaz, que o diga seu Jailton de Oliveira.

No carrinho do Jailton tem pamonha com sal ou doce,  o freguês escolhe o que mais gosta

No carrinho do Jailton tem pamonha com sal ou doce, o freguês escolhe o que mais gosta

Há 25 anos o carrinho do Jailton faz a alegria dos fregueses com as comidinhas de milho, mais lembradas durante o período junino, o ano todo. “Todo dia tenho que levar milho cozido pro meu netinho”, diz um cliente fiel, enquanto esperava a chegada do vendedor. Ele possui uma legião de fãs que – religiosamente – vai diariamente até a padaria Nossa Senhora, na Avenida Rotary. Dos produtos que provei elegi o bolo de milho como o melhor de todos.

Milho cozido tem todo dia, menos nos dias de domingo

Milho cozido tem todo dia, menos nos dias de domingo

Mas cada freguês tem sua preferência: pamonha (doce e salgada), canjica, milho cozido, mungunzá, tapioca e os bolos de macaxeira e de milho. Comida bem fresquinha, porque todo dia, a partir das às 4h30, seu Jailton já está no Mercado da  Produção. Ali ele escolhe as melhores espigas, adquirindo normalmente cinco mãos (250 unidades) e um cento de cocos.

Produtos novos, frescos, são essenciais para a cozinha de Cícera Farias, esposa do Jailton, mais uma dama da gastronomia alagoana. Ela faz o bolo de milho fofinho, e de tão macio quebra-se fácil, é perfeito. Aliás, os outros quitutes de milho e macaxeira seguem o mesmo padrão de qualidade.

Bolo de macaxeira também merece atenção especial

Bolo de macaxeira também merece atenção especial

Na primeira vez que tentei comprar era tempo das festas juninas, mas como cheguei as 18h30, não havia sobrado nem um caroço de milho para fotografar. Da segunda vez, estava no local antes das 17 horas. Logo foi juntando gente, todos com o olhar fixo no horizonte.

Nesse dia Seu Jailton e seus filhos atrasaram coisa de meia hora, estacionaram o carrinho as 18 horas, o que causou certa expectativa, afinal o caminho para sua casa até a padaria é normalmente vencido em apenas 20 minutos. Mas, quando o vendedor despontou na subida da Avenida Rotary, a tensão se desanuviou. Logo foi formada uma fila e não demorou para todos serem atendidos. Sem reclamações, afinal trata-se de um público fiel.

Mesmo sem São João tem canjica preparada pela Cicera

Mesmo sem São João tem canjica preparada pela Cicera

Seu Jailton, Dona Cícera e sua família são empreendedores natos. O casal criou os filhos só com a venda das comidas juninas durante o ano inteiro, e com a parceria da Padaria Nossa Senhora, que cede o espaço para a felicidade da clientela do carrinho que religiosamente estaciona em sua calçada de segunda a sábado.

Seu Jailton, Dona Cícera e família, com seu carrinho de madeira repleto de sabores do milho e da mandioca, integram o guia mais importante da gastronomia popular alagoana.

Seu Jailton com seu filho, trabalho em família é o segredo do sucesso

Seu Jailton com seu filho Virginio, trabalho em família, a receita de sucesso

Carrinho da família de seu Jailton

De segunda a sábado, das 17 até as 19h30

Na frente da Padaria Nossa Senhora – Na Avenida Rotary

Aceita em encomenda – Telefone 8853.7009 e 3341.0440

Preços: milho cozido- R$ 2,00/ Fatia de bolo – R$ 3,00/ Pamonha – R$ 4,00

Pagamento só em dinheiro

 

Postado às 0:14, Nide Lins 7 comentários postado em Geral |
21/07/2014

Comidinhas de trailer, o sabor da moda

O penne com molho de calabresa também segue o mesmo padrão, o molho é caseiro e a massa gran duro (italiano). A iguaria vem polvilhada com queijo e uma torradinha

Comida de rua do Sal Brasil: penne com molho de calabresa polvilhada com queijo e uma torradinha

Dia de domingo, dia de sol ameno, na rua fechada da Praia da Ponta Verde, a alegria da criançada é evidente, a rua é para o lazer. A banda da Policia Militar traz a música e o povo dança feliz da vida. Se a ordem é entretimento, a comida não fica de fora, além dos barzinhos de praia, as comidinhas dos carros (trailer) são moda, ou melhor, uma tendência da gastronomia que está conquistando corações e estômagos pelo mundo afora. E melhor: o preço é convidativo, a partir de R$ 12,00 podemos nos deliciar com espaguete ao molho.

Conhecidos como “food trucks”, os carros que servem pratos nas ruas vieram para ficar como mais uma alternativa da alimentação fora do lar, e claro, Maceió não pode ficar de fora. Pois bem, neste domingo de sol, conheci duas propostas: o de massas “Sal Brasil” e Summer do açaí, ambos com um ano de vida. Contudo, tem mais trailers espalhados pela cidade e nesta postagem vou comentar dois, e em breve vou destrinchar outras comidinhas de rua.

 

Nhoque recheado com queijo e dois molhos: bolonhesa e três queijos

Nhoque recheado com queijo e dois molhos: bolonhesa e três queijos

No Sal Brasil, eu apostei no nhoque recheado com queijo e dois molhos: bolonhesa e três queijos. Vem com uma torradinha, a massa de batata e o molho são bons, ambos produção caseira. Aposta certa, afinal, não resista à massa feita de batata.

Quem comanda o Sal Brasil é o alagoano de Viçosa, chef Josemar Vespasiano e sua esposa, a paulista Adelma Povilho. “Optei pelas massas porque elas são praticas e saborosas. Mas também tem a feijoada, nossos clientes pediram”, diz o chef, que se formou em gastronomia em São Paulo. “Comida não é luxo, e a de rua podemos oferecer a preço justo, com qualidade e sabor”, completa o alagoano.

O penne com molho de calabresa também segue o mesmo padrão, o molho é caseiro e a massa gran duro (italiano). A iguaria vem polvilhada com queijo e uma torradinha.

 

feijoada é singela, mas de bom sabor, feijão preto, calabresa, pedaços de charque, arroz, farofa e couve. Gostei da leveza do prato bem brasileiro.

Gostei da leveza da Feijoada é simples, mas de bom sabor

A feijoada é singela, mas de bom sabor, feijão preto, calabresa, pedaços de charque, arroz, farofa e couve. Gostei da leveza do prato bem brasileiro.

Meu breve resumo sobre a comida do nosso chef Josemar, que nasceu em Viçosa, é de bom sabor e honesta. Para um dia de domingo, ou durante a semana, de frente ao colégio Marista (Farol) é bem legal.

Vamos de açaí

No treleir Summer Açaígosto do açaí com banana e morango, e claro, nada de leite condensado e um pouco de mel de cobertura

No traleir Summer Açaí, apostei na fruta amazônica com banana e morango e mel de cobertura

Açaí, lá da nossa Amazônia, é riquíssima em vitaminas C, B1 e B2 e também possui uma boa quantidade de fósforo, ferro e cálcio. Pois bem, esta fruta brasileira é o negócio do alagoano Julio Paranhos, no seu simpático trailer.

O summer Açaí tem a fruta a partir de R$ 8,00, com direito a dois acompanhamentos (granola, castanha, amendoim, farinha láctea, neston, Ovomaltine, granulado, leite ninho, linhaça, aveia, flocos de arroz) e   dois tipos de frutas (banana, Kiwi, morango e manga). Para finalizar, uma cobertura (leite condensado ou mel).

Também é bom, gosto do açaí com banana e morango, e claro, nada de leite condensado e um pouco de mel de cobertura. Mas claro, esta é minha preferência; também vale a pena fazer outras combinações.

Os carrinhos de comida de rua possuem a vantagem de serem móveis, portanto viram cardápio das festas, pela praticidade, custo beneficio, e bom sabor

Na Praia da Ponta Verde: os carrinhos de comida de rua possuem a vantagem de serem móveis, portanto viram cardápio das festas, pela praticidade, custo beneficio, praticidade e bom sabor

 

Sal Brasil – 9129.2774 (claro) – 9981.9782 (tim) – De terça a sexta-feira de frente ao colégio Marista. Das 11 até 15horas.  Domingo na rua fechada Ponta Verde

Summer Açaí – 9971.0874 e 9102.8814 – Sábado e domingo na rua fechada da Ponta Verde

 

 

Postado às 10:25, Nide Lins seja o primeiro a comentar! postado em Geral |
18/07/2014

Sopas, músicas, vinhos….

Nhoque à Bolonhesa, no restaurante Maria Antonieta, ótima opção do Festival de Inverno

Nhoque à Bolonhesa, no restaurante Maria Antonieta, ótima opção do Festival de Inverno

Quem é da região Sul e Sudeste esta acostumado com inverno rigoroso. Em alguns lugares com direito até a neve. Mas no Nordeste, como não existe este cenário, os alagoanos curtem o nosso frio ameno, um dia chove, outro faz sol, e ainda o famoso “Casamento da raposa” chuva e o sol ao mesmo. De olho nesse friozinho gostoso, os restaurantes Maria Antonieta, Palato Café e Cuscuzeria Café criaram, cada um a seu estilo, o Festival de Inverno com muito sabor.

Maria Antonieta - sopa de tornelini  de origem italiana é o sabor do inverno

Maria Antonieta – sopa de tortellini de origem italiana é o sabor do inverno

Maria Antonieta – A sopa de tornelini é singela, sua aparência não é convidativa, mas para a jornalista Aline Angeli, a iguaria tem um sentimento afetivo, lembranças de sua mãe lá do Rio Grande Sul, afinal no Sul, a sopa de origem italiana é bem apreciada. Esta massinha é produção própria da cozinha do chef Breno do restaurante. Imagine o trabalho que dá rechear cada uma com frango (90%) e carne suína (10%), cozida no caldo de frango. Sou fã de carteirinha. Leve e saborosa.

Polenta Cremosa com Ragu (carne desfiada) de Ossobuco. Sempre nota 10, apenas pede um bom vinho. A sugestão da casa é uma taça de 187 ml de Petirrojo Reserva Carbernet Sauvignon 2011. Com esta taça de vinho mais o prato do Festival, fica por R$ 40,00 para uma mesa.

Outro prato do Inverno do Maria Antonieta é Nhoque à Bolonhesa. Por sinal, bem saboroso.

Maria Antonieta – Av. Dr. Antônio Gomes de Barros, 150, Jatiúca – Telefone:(82) 3202-8828

Além da música, umas estrelas do Festival de Inverno do Palato é  o Fondue

Além da música, umas estrelas do Festival de Inverno do Palato é o Fondue

Palato – Todas as quartas-feiras no Palato Café (Farol e Ponta Verde) até o dia 8 de agosto tem muita música com blues, jazz ou violino, que prometem esquentar o 8º Festival de Inverno na cafeteria do Palato. Além da música, umas estrelas da estação de frio é  o Fondue, um prato de origem suíça, originalmente à base de queijo aquecido sobre uma lamparina.

Os fãs de chocolate podem festejar. O fondue de chocolate com frutas está perfeito. O chocolate não é enjoativo e as frutas (banana, maça, morango e uva) quebram o doce. Para acompanhar a dica da gerente de Marketing do Palato, Noah Verde,  é o Vinho do Porto, aprovadissímo. Também tem o fondue de queijos com pão. No mais vinho, jazz e blues, ótima pedida.

A boa música no Palato é mais um convite ao prazer do Festival de Inverno

Barba de Gato, a boa música no Palato, mais um convite ao prazer do Festival de Inverno

Anote também:   No dia 25 de julho, o Palato Farol promove o jantar harmonizado da vinícola “Las Casas de Vaqueria”. Já no dia 8 de agosto, o encerramento do Festival do Inverno fica por conta de mais uma edição do “Encontro de Cervejeiros”, no qual é possível degustar diversos rótulos de cervejas internacionais de prestígio e de exemplares nacionais artesanais de peso.

Palato Farol: Av. Fernandes Lima, 548 – tel.: 2126-3000

Palato Ponta Verde: R. Deputado José Lages 700 – tel.: 2121-7575

Caldo de jerimum com bacon  é uma das atrações do Festival de Inverno da Cuscuzeria

Caldo de jerimum com bacon é uma das atrações do Festival de Inverno da Cuscuzeria

 Cuscuzeria Café – Famoso pelo cuscuz recheado, a Cuscuzeria aposta nos caldos para as noites de inverno. A famosa de jerimum com bacon continua em cartaz e umas das mais queridas. De terça a quinta, das 14h até às 22 h, tem promoção dos caldos (R$7,90 cada). O cardápio conta com novas sopas: ervilha com provolone e camarão com gorgonzola. Também merece destaque o caldo verde (Macaxeira e calabresa).

 Cuscuzeria Café – Av. Dr. Antônio Gomes de Barros, 1076 – Jatiúca, Maceió – AL, 57036-000

Postado às 13:23, Nide Lins 1 comentário postado em Geral |
15/07/2014

Torta de chocolate para diabéticos e comidinhas saudáveis, vamos provar?

batizado de Periquito, é um bolo funcional, que além de saboroso, ajuda na digestão. A chef e nutricionista Moema Ferro usa a farinha de aveia fina, chocolate e cacau sem açúcar, adoçante. Portanto, para que tem intolerância a lactose e o glúten podem sem deliciar sem medo.

Torta Periquito leva aveia fina, chocolate e cacau sem açúcar, adoçante, sem leite e nem farinha de trigo

 

Torta de chocolate macia, molhada e saborosa. Na receita não tem farinha de trigo, nem leite, nem manteiga, e em vez de açúcar, adoçante… Para acertar a receita é preciso muita ciência, principalmente para não ficar extremamente doce e nem com sabor de adoçante, pois a nutricionista Moema Ferro acertou em cheio, a torta é maravilhosa, tanto que dá vontade de repetir na companhia de um cafezinho, do restaurante Manga Verde.

chocolate para diabéticos (quem não é também pode comer porque vai amar) batizado de Periquito, é um bolo funcional, que além de saboroso, ajuda na digestão. A chef e nutricionista Moema Ferro usa a farinha de aveia fina, chocolate e cacau sem açúcar, adoçante. Portanto, para quem tem intolerância a lactose e o glúten podem se deliciar sem medo. A torta vem com  calda de frutas vermelhas.

Em vez do peixe ao leite de coco, a crosta de tapioca (goma mais coco ralado), inovador e bom

Em vez do peixe ao leite de coco, a crosta de tapioca (goma mais coco ralado), inovador e bom

O restaurante Manga Verde, cozinha natural, é novinho em folha, com a proposta de comida saudável já tem publico cativo. No mês de fevereiro fiz a primeira postagem, agora neste mês de julho tem novidades, então selecionei algumas das delícias, sempre lembrando que na cozinha da Moema as ervas dão sabor, nada de óleo, e muito menos produtos químicos. Também tem alimentos para os vegetarianos da linha veggie. Então, vamos aos destaques do Manga Verde.

Salmão grelhado ao molho de maracujá, com purê de batata doce no perfume de laranja e gengibre. O peixe vem escoltado de arroz sete grãos e salada. Leve, saboroso e que satisfaz

Medida certa: salmão grelhado ao molho de maracujá, com purê de batata doce no perfume de laranja e gengibre. O peixe vem escoltado de arroz sete grãos e salada. Leve, saboroso e que satisfaz no Manga Verde

 

 Quiche, aquela massinha que lembra uma empada aberta, é uma das minhas paixões, a batizada de canção vem com recheio de brócolis e queijo gorgonzola. União perfeita de sabores e casquinha bem crocrante.


Quiche, aquela massinha que lembra uma empada aberta, é uma das minhas paixões, a batizada de canção vem com recheio de brócolis e queijo gorgonzola. União perfeita de sabores e casquinha bem crocrante.

 

 “Burguesa”, lasanha de berinjela com abobrinhas, proteína de soja ao molho de tomate caseiro e queijo parmesão. Para quem não gosta de legumes pode achar estranho, mas a idéia da berinjela e abobrinha é saudável


“Burguesa”, lasanha de berinjela com abobrinhas, proteína de soja ao molho de tomate caseiro e queijo parmesão. Para quem não gosta de legumes pode achar estranho, mas a ideia da berinjela e abobrinha é saudável

 As pizzas são outra novidade da casa, chamado cantinho da pizza, o comensal escolhe o tipo da massa - tem a especial sem glúten, com batata doce, integral e tradicional. Depois, o recheio. Provei a pizza de banana, para quem é acostumada com massa de pizza tradicional, pode parecer estranha. Mas quem adora navegar por outros sabores deve investir na pizza de banana com recheio de abobrinha, ricota, rúcula, manjericão, tomate e o parmesão. Para finalizar, o molho.  

As pizzas são outra novidade da casa, chamado cantinho da pizza, o comensal escolhe o tipo da massa – tem a especial sem glúten, com batata doce, integral e tradicional. Depois, o recheio. Provei a pizza de banana, para quem é acostumada com massa de pizza tradicional, pode parecer estranha. Mas quem adora navegar por outros sabores deve investir na pizza de banana com recheio de abobrinha, ricota, rúcula, manjericão, tomate e o parmesão.

 

O reforço veggie poderá ser saboreado como o “Gaivota”, um estrogonofe de palmito, leite de arroz, leite de coco e polpa de tomate. Nada de creme de leite

O reforço veggie poderá ser saboreado como o “Gaivota”, um estrogonofe de palmito, leite de arroz, leite de coco e polpa de tomate. Nada de creme de leite. A iguaria é servida com arroz sete grãos e vage

A banana-terra virar sopa é uma das novidades do Manga Verde. As bananas da terra são cozidas, passadas no triturador, leva sal e um pouco de canela. Resultado: um caldo agridoce

A banana-terra virar sopa é uma das novidades do Manga Verde. As bananas da terra são cozidas, passadas no triturador, leva sal e um pouco de canela. Resultado: um caldo agridoce

 

Rota Manga Verde, Cozinha Natural

Preços dos pratos principais (individual) de R$ 18,00 . Aceita cartão.

Funciona de terça a domingo, das 11h30 até as 15h e das 18 até as 22h.

Antiga Amélia Rosa, 221, Jatiúca. Indo em direção à praia

Telefone: 3025. 9889

 

 

 

 

 

Postado às 21:33, Nide Lins seja o primeiro a comentar! postado em Geral |
10/07/2014

Bolo de massa puba, tapioca com carne de sol e café, só na Cicinha, no mercado

Bolo de massa puba é macio e molhadinho, um dos sucessos da Tapioca da Cicera no mercado

Bolo de massa puba é macio e molhadinho, um dos sucessos da Tapioca da Cicera no mercado

“Tapioca, que delícia”, organização Cicinha e Beto. Este é o letreiro da barraca mais famosa do Mercado da Produção (portão 14), porém todo mundo conhece o pequeno empreendimento como “Tapioca da Cicinha”. A fama da pernambucana tem razão de ser, a tapioca é das boas, tamanho e recheio generosos. Mas quando ela me ofereceu um pedaço de bolo de massa puba, fui ao céu e voltei. Massa macia e molhadinha, e para completar, um café bem quentinho.

A primeira fatia do bolo de massapuba, no dia de domingo, às 11horas, na verdade era a última dos 12 bolos de 30 cm preparados pela Cicinha. Não deu nem para fotografar, e tive que ir ao “sacrifício” na terça-feira, às 8h.Voltei para retratar o bolo inteiro. Maravilhoso. E enquanto fotografava um senhor com seu chapéu de palha, dizia: “Esse é bem feito”.  E bote bem feito nisso.

Tapioca com recheio de carne de sol, queijo coalho,  milho, ervilha e coco ralado. Nota 10

Tapioca com recheio de carne de sol, queijo coalho, milho, ervilha e coco ralado. Nota 10

Se o bolo é bom, a tapioca segue o mesmo padrão e tradição. Ela peneira a farinha da goma da mandioca em círculo, e polvilha com coco ralado. Depois, o freguês decide entre os 50 sabores qual vai rechear o quitute nordestino.

O de queijo coalho é um dos mais queridos do público do mercado, mas o reinado fica com a carne de sol, que vem escoltada por queijo coalho, requeijão, milho, ervilha e para finalizar manteiga. E tem mais: a tapioca de carne de sol equivale a um almoço, embora há quem prefira como lanche das compras ou café da manhã. O tamanho é generoso, confesso que não consegui comer uma inteira, contudo muita gente saboreia sem dó e nem piedade.

Tapioca, tradição nordestina, tem espaço sagrado no Mercado da Produção

Tapioca, tradição nordestina, tem espaço sagrado no Mercado da Produção

História – Cicinha é Cicera Ferreira Santos, pernambucana casada com o paulista José Roberto Alves, o Beto. Há 19 anos o casal comercializa farinha de tapioca, de massa puba e coco ralado. Apenas há dois anos produzem tapiocas e bolos.

Em tão pouco tempo, o pequeno empreendimento do casal já é sucesso pela qualidade, e os cuidados com o manuseio dos alimentos. Cicinha trabalha de touca e luva, e só tirou a touca para mostrar a beleza pernambucana na foto. Os talheres são todos guardados em sacos plásticos. Tudo lindinho e limpinho.

Tapioca com queijo coalho  recebe manteiga por cima

Tapioca com queijo coalho recebe manteiga por cima

A massa puba vem  da cidade de Coqueiro Seco, a goma de mandioca é de Boca da Mata. Para atender a clientela fiel do mercado da Produção, Cicinha começa a labuta e 3h30 da madrugada, e às 5h30 abre a Tapioca Delícia que funciona até as 14 horas.

Último lembrete, a Tapioca Delícia fica no corredor e tem algumas mesas, mas como é famosa, tem sempre freguês. Então, nada de estresse, porque a Cicinha atende a todos, mesmo sem fila. “Nunca me atrapalho, gravo a fisionomia das pessoas, e dá tudo certo”, diz Cicinha. Então muita calma nessa hora, porque vale a pena conferir as delícias da pernambucana que escolheu Maceió para viver e empreender .

Lula, obrigada pela dica. Aprovadíssima.

Cicera, famosa pelas tapiocas no Mercado da Produção

Cicera, famosa pelas tapiocas no Mercado da Produção

 

 Tapioca que Delícia (Portão 14)

Mercado da Produção. Das 5h30 até as 14 horas de Segunda a domingo

Fatia do Bolo de massa puba – R$ 2,00 – Tapioca com queijo coalho – R$ 5,00 e Tapioca de carne do sol – R$ 8,00

Não aceita cartão –  Telefones: 8823.7208 e 88459208

Beto comanda as vendas do coco ralado na hora. Por semana são utilizados 350 cocos para fazer os quitutes de Cicinha

Beto comanda as vendas do coco, massa puba e goma de tapioca. Por semana são utilizados 350 cocos nas iguarias

 

Postado às 22:50, Nide Lins 15 comentários postado em Geral |
10/07/2014

Hoje é dia da Pizza

 

Pizza, uma paixão brasileira. Foto de Cadu Primola da pizza da Sabetelli é uma tentação

Pizza, uma paixão brasileira. Foto de Cadu Primola da pizza da Sabetelli

A saborosa pizza virou jargão para corrupção no Brasil, tudo de ruim acaba em pizza, ou seja, não deu em nada. Este patrimônio gastronômico tão popular no mundo não merecia este símbolo. Pois bem, 10 de julho é dia da pizza, por mim seria todo dia, sou fã de carteirinha da massa que, em pleno século 21, tem redonda e quadrada e para todos os gostos.

Muitos dizem que os romanos inventaram a pizza. Ou os egípcios. E até mesmo os gregos. Sua origem é tão antiga que fica difícil dizer quem é o real inventor dessa iguaria. Mas a versão mais tradicional da pizza vem de Nápoles, na Itália.

Em Maceió, tem pizzaria pra todo lado, e para celebrara data, fiz uma seleção das que conheço, na minha lista só não cabem as pizzas frango com catupiry e nem as doces, mas respeito quem aprecia. Claro, além das minhas queridas, todomundo já tem as suas prediletas para reunir a família, e neste caso vale a pena tudo acabar em pizza.

 

A boa pizza da Fitzcarraldo, na Ilha de Santa Rita.(Marechal Deodoro), na beira da lagoa Manguaba.1-            Na beira da lagoa tem comida italiana do restaurante Fitzcarraldo, aprovei a pizza toscana, com molho de tomate, linguiça toscana da casa, mozarela, pimentão e orégano. O restaurante e pizzaria é comandado pelo italiano.

A boa pizza da Fitzcarraldo, na Ilha de Santa Rita (Marechal Deodoro), na beira da lagoa Manguaba. Aprovei a pizza toscana, com molho de tomate, linguiça toscana da casa, mozarela, pimentão e orégano. O restaurante e pizzaria é comandado pelo italiano Emanuel de Miranda. Fitzcarraldo – Rua da Mangueira, 420, Ilha de Santa Rita – Marechal Deodoro. Aceita cartões – Telefone: 82 -3260.6631

2 - A novidade deste ano é a Pizzaria Sabatelli, que fez sua estreia na Ponta Verde. Ainda tem o chope de trigo alagoano,Cevada Pura, mais um bom motivo para ir a Sabatelli. Sabatelli - Rua Desportista Humberto Guimarães, 882, Ponta Verde. Telefone: 3317.1325

A novidade deste ano é a Pizzaria Sabatelli, que fez sua estreia na Ponta Verde. Ainda tem o chope de trigo alagoano,Cevada Pura, mais um bom motivo para ir a pizzaria. Sabatelli – Rua Desportista Humberto Guimarães, 882, Ponta Verde. Telefone: 3317.1325

3 - As pizzas de metro e de massa integral no restaurante Ser-Afim são deliciosas. Adoro a pizza com cobertura de queijos, em especial de gorgonzola com brócolis, mussarela, tomate picado e alho. Apenas acrescente um pouco de azeite para o arremate final, e nada mais!

As pizzas de metro e de massa integral no restaurante Ser-Afim são deliciosas. Adoro a pizza com cobertura de queijos, em especial de gorgonzola com brócolis, mussarela, tomate picado e alho. Apenas acrescente um pouco de azeite para o arremate final, e nada mais!  Ser-Afim – Rua Paulina Maria Mendonça, 141 – Jatiúca, 3026-3155 (na mesma rua do Canto da Boca) – Aceita cartão

4 – A Família Gama reúne história e tradição da pizzaria em Maceió. Tudo começou com a Super Pizza, com a revolucionária pizza em fatias. Mas coube ao Armazém Guimarães inaugurar as bordas recheadas. Gosto muito da tradicional de calabresa e de brócolis. Armazém Guimarães - Av.Dr Antônio Gomes de Barros, 188 - Jatiúca - Tele fone- 3325-4545

A Família Gama reúne história e tradição da pizzaria em Maceió. Tudo começou com a Super Pizza, com a revolucionária pizza em fatias. Mas coube ao Armazém Guimarães inaugurar as bordas recheadas. Gosto muito da tradicional de calabresa e de brócolis. Armazém Guimarães – Av.Dr Antônio Gomes de Barros, 188 – Jatiúca – Tele fone- 3325-4545

 

5 - A pizzaria Margheritta é bem charmosa, com adega de vinhos, e oferece 70 sabores para agradar ao paladar de todos. O destaque vai para Margheritta, que na sua receita usa os ingredientes que remetem à bandeira da Itália: branco representado pela mozarela, verde pelo manjericão e vermelho pelo tomate.  Margheritta -Av Professor Sandoval Arroxelas, 700 - Ponta Verde – Telefone: 3325-8008

A pizzaria Margheritta é bem charmosa, com adega de vinhos, e oferece 70 sabores para agradar ao paladar de todos. O destaque vai para Margheritta, que na sua receita usa os ingredientes que remetem à bandeira da Itália: branco representado pela mozarela, verde pelo manjericão e vermelho pelo tomate. Margheritta -Av Professor Sandoval Arroxelas, 700 – Ponta Verde – Telefone: 3325-8008

 

6 - Na Santoregano continuo fã da pizza fresca picante, que levou para casa o prêmio da Copa Brasileira de Pizzarias, como a 7ª melhor pizzaria do Brasil. A receita é leve e super saborosa:mussarela, rúcula, berinjela marinada no aliche, pimentões coloridos, cebola, alho, pimenta e lascas de parmesão. Santoregano - Rodovia AL 101 Norte, 56Riacho Doce, Telefone: 3355-1222

Na Santoregano continuo fã da pizza fresca picante, que levou para casa o prêmio da Copa Brasileira de Pizzarias, como a 7ª melhor pizzaria do Brasil. A receita é leve e super saborosa:mussarela, rúcula, berinjela marinada no aliche, pimentões coloridos, cebola, alho, pimenta e lascas de parmesão. Santoregano – Rodovia AL 101 Norte, 56Riacho Doce, Telefone: 3355-1222

 

7 - Na rodovia AL 101 Norte, a pizza é das boas e adorei a pizza de brócolis especial (queijo gorgonzola, mussarela, brócolis refogado no alho com azeite e tomate seco). Pizza a Lenha - funciona de terça a domingo, das 18 até as 23h. Telefone: 3293. 2222 - Paripueira - Aceita cartão

Na rodovia AL 101 Norte, Pizza a Lenha é das boas e adorei a pizza de brócolis especial (queijo gorgonzola, mussarela, brócolis refogado no alho com azeite e tomate seco). Pizza a Lenha -Paripueira e também tem uma filial na Avenida João Davino – Telefone: 3293. 2222 – Paripueira – Aceita cartão

 

8 - Nos finais de semana, Barra de São Miguel tem a Fornaria, com ótimas pizzas batizadas com nomes das praias e de bairros alagoanos. A Barra de São Miguel tem o sabor de mussarela, brócolis, palmito, Champion e tomate seco. Já a que leva o nome do bairro Farol é a tradicional portuguesa: presunto, ovos, cebola, mussarela, orégano e azeitonas. Fornaria - Rua Doutor Lessa de Azevedo, 48 – Telefone : 82 3327-8844

Nos finais de semana, Barra de São Miguel tem a Fornaria, com ótimas pizzas batizadas com nomes das praias e de bairros alagoanos. A Barra de São Miguel tem o sabor de mussarela, brócolis, palmito, Champion e tomate seco.  Fornaria – Rua Doutor Lessa de Azevedo, 48 – Telefone : 82 3327-8844

9– As pizzas da Del Popollo eujá conhecia do tempo de jornalista da Tribuna de Alagoas, e até hoje sou fã e gosto da brócolis com tomate seco e a outra metade de pepperoni. O legal é que na Del Popollo os fãs da casa de massa têm direito a escolher quatro sabores. Aplausos, porque normalmente são dois. Considero quatro sabores uma farra, e das boas. Rota Del Popollo -Rua Cândido Gomes de Melo, 100 – Serraria - Aceita cartão - Telefone: 3241-0309

As pizzas da Del Popollo já conhecia do tempo de jornalista da Tribuna de Alagoas, e até hoje sou fã e gosto da brócolis com tomate seco e a outra metade de pepperoni. O legal é que na Del Popollo os fãs da casa de massa têm direito a escolher quatro sabores. Aplausos, porque normalmente são dois. Del Popollo -Rua Cândido Gomes de Melo, 100 – Serraria – Aceita cartão – Telefone: 3241-0309

 

 

Postado às 11:56, Nide Lins 3 comentários postado em Geral |
08/07/2014

Caipirinha, nossa campeã

Caipirinha, uma paixão brasileira conquista turistas do mundo

Caipirinha, uma paixão brasileira conquista turistas do mundo

No post anterior disse que Alemanha é campeã nas cervejas. Mas a seleção germânica jogou demais e a seleção brasileira jogou de menos… um desastre verde-amarelo.  Mas a vida segue e outras copas virão. Eu não vou deixar de ser brasileira com muito orgulho, nunca. Como diz a musica: “Levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima”.

Pois bem, se os alemães são bons na cerveja, e também no futebol, não podemos esquecer que Brasil é único país com cinco títulos da Copa do Mundo. Na gastronomia também fazemos muitos gols, e na minha breve resenha neste 8 de julho, dia de ressaca dos gols, minha dica é bebericar uma boa caipirinha, bebida tipicamente brasileira.

Cachaça com frutas também é show de bola

Cachaça com frutas também é show de bola

Cachaça, limão, gelo e açúcar  ou a caipifruta (mistura de cachaça com frutas). Essas receitas conquistam os corações de qualquer parte de mundo.

E a nossa cachaça é a estrela principal na fórmula da caipirinha. Indico a alagoana  Caraçuípe, aguardente produzida na cidade de Campo Alegre. A bebida une tradição e novas tecnologias , não usa aditivos químicos, nem corantes.

Cachaça: A alagoana  Caraçuípe, aguardente produzida na cidade de Campo Alegre.

Cachaça: A alagoana Caraçuípe, aguardente produzida na cidade de Campo Alegre

A Caraçuípe é cachaça nobre,  saborosíssima na versão pura, a branquinha, e na brasileiríssima caipirinha é show de bola.

Veja algumas dicas de caipirinhas:

Maracujá com o limão siciliano e caju com limão, são as dicas do chef Jonatas do Akuaba

Maracujá com o limão siciliano e caju com limão, são as dicas do chef Jonatas do Akuaba

No Comedoria Picuí, a novidade da caipirosca, com direito a chorinho. Mas também tem o picolé da fruta para dar mais sabor a bebida

Comedoria Picuí: caipirinha com direito a chorinho. Mas também tem o picolé da fruta para dar mais sabor

No final da tarde a caipirinha de frutas do Lopana é a dose necessária para esquecer os gols da Alemanha

No final da tarde caipirinhas do Lopana, ótima dica para esquecer os gols da Alemanha

 

 

Caraçuípe – Sitio Escorrega – Rodovia BR 101, km 159 – Luziápolis- Campo Alagre – Telefone: 82 – 3275.9120

 Akuaba – Rua Ferroviário Manoel Gonçalves Filho.06 – Jatiúca, Telefone:(82) 3325-6199

 Comedoria Picuí - Avenida Álvaro Calheiros, 110, Jatiuca- Telefone: 3325.7537

 Lopana – Av. Silvio Carlos Viana, nº 27 – Ponta Verde Maceió – Telefone: 3231.7484 – Aceita cartões

Postado às 22:53, Nide Lins seja o primeiro a comentar! postado em Geral |
07/07/2014

Alemanha: campeã, mas nas cervejas

 famoso “chucrute” – tradicionalmente acompanhado por joelho de porco ou salsichas alemãs, em falta no mercado

Repolho com salsichas alemãs, tradição culinária germânica, mas como a iguaria está em falta no mercado, a dica é comemorar a vitória da seleção brasileira com as cervejas alemãs de sabores mais encorpados

“Parabéns pelo ótimo – e delicioso – trabalho no blog e sugiro, para o bem de todos, ir pensando em algo para assar a Alemanha (risos)…”. Claudio Roberto Agra Lima.

Caro Claudio Agra, grata pelos elogios, mas digo que não vamos “assar” a Alemanha. Tudo porque as salsichas alemãs estão em falta no mercado. Associadas ao repolho fermentado, representam o prato típico do povo germânico, o famoso “chucrute” – tradicionalmente acompanhado por joelho de porco. Na ausência dessa receita típica, minha dica é beber a vitória da seleção brasileira saboreando as cervejas alemãs. Essas, sim, grandes campeãs.

Porém os germânicos não são os campeões mundiais em beber cerveja, os líderes são os tchecos. No futebol, a Alemanha tem três títulos da Copa do Mundo e o Brasil cinco. Com as bênçãos dos orixás e de todos santos o hexa será nosso. Oxalá.

 

Rafael Rolim, mestre cervejeiro e o sócio, Luiz Alberto. Eles já tem a seleção das cervejas alemãs para festejar a vitoria do Brasil

Rafael Rolim, mestre cervejeiro e o sócio, Luiz Alberto, da Casa das Cervejas

Para festejar a vitória brasileira ao sabor da bebida teutônica, convidei Rafael Rolim, mestre cervejeiro, estudioso e sócio da Casa da Cerveja. Bom gaúcho, como Felipão, escalou o time de cinco bebidas alemãs para brindar os gols da seleção Canarinho. “Alemanha tem tradição, desde 1516, de fabricar cervejas seguindo a lei da pureza, e em cada bairro tem uma cervejaria. O interessante é que os moradores não bebem de outro bairro para não fortalecer o concorrente”, diz ele.

No Brasil não temos as cervejarias de bairro. Mas, em compensação, em cada recanto os campos de futebol proliferam fabricando meninos (e meninas) de ouro para nosso futebol. Já no campo das cervejas, os brasileiros também estão fazendo belos gols com as fábricas artesanais, a exemplo das Colorado, Insana, Teresópolis, entre outras, que seguem a regra da lei da pureza: malte, água, levedura e lupo.

Confira a seleção de cervejas alemãs do mestre cervejeiro Rafael Rolim para comemorar a vitória do Brasil (e, como eu, agora, faça figa!).

 1- Homenagem ao Brasil – Erdinger Weissbier é uma cerveja de trigo premium. A cervejaria em homenagem ao Brasil criou o Copo da Copa, claro, para brindar a vitória da nossa seleção. É muito aromática, refrescante e clássica entre as cervejas de trigo. Teor alcoólico 5,3%

1- Homenagem ao Brasil – Erdinger Weissbier é uma cerveja de trigo premium. A cervejaria em homenagem ao Brasil criou o Copo da Copa, claro, para brindar a vitória da nossa seleção. É muito aromática, refrescante e clássica entre as cervejas de trigo. Teor alcoólico 5,3%

König Ludwig Weissbier – Cerveja de trigo escura, bem cremosa, apresentando o sabor de muito malte, com um final de abacaxi. Teor alcoólico: 5,5%

2 – König Ludwig Weissbier – Cerveja de trigo escura, bem cremosa, apresentando o sabor de muito malte, com um final de abacaxi. Teor alcoólico: 5,5%

 

3 - HB, única cerveja estatal de trigo, pertence à prefeitura de Munique e, nos seus mais de 400 anos de existência, sempre foi a cerveja oficial da Corte Real Bávara. Bebida mais suave e de baixo teor alcoólico

3 – HB, única cerveja estatal de trigo, pertence à prefeitura de Munique e, nos seus mais de 400 anos de existência, sempre foi a cerveja oficial da Corte Real Bávara. Bebida mais suave e de baixo teor alcoólico

4 – Paulaner Salvator – Produzida pelos monges da Paulaner como o "pão líquido" durante o jejum da Quaresma. De baixa fermentação, é uma cerveja forte, de cor vermelha escura. Teor alcoólico 7,9%

4 – Paulaner Salvator – Produzida pelos monges da Paulaner como o “pão líquido” durante o jejum da Quaresma. De baixa fermentação, é uma cerveja forte, de cor vermelha escura. Teor alcoólico 7,9%

5 - Schofferhofer – Está é curiosa, a cerveja de trigo lembra o refrigerante Fanta, mais salgado e com sabor de laranja madura. Teor alcoólico 2,5%

5 - Schofferhofer – Está é curiosa, a cerveja de trigo lembra o refrigerante Fanta, mais salgado e com sabor de laranja madura. Teor alcoólico 2,5%

Ai está uma breve seleção da Casa das Cervejas. Rafael Rolim lembra que Alemanha tem cinco mil marcas de cervejas e 1.350 cervejarias. Detalhe: como as de trigo são mais fortes e de sabor encorpado, com certeza serão as ideais para festejarmos mais uma vitória brasileira.

Rota Casa das Cervejas

Preços das cerveja alemãs a partir de R$19,00 - Aceita cartão

Funciona de terça a sexta, das 13h até o último cliente e aos sábados das 10 até o último cliente

Telefone: 9691.0782

 

Endereço: Avenida Almirante Álvaro Calheiros, 660 – Jatiúca – Telefone: 9691.0782

Postado às 0:47, Nide Lins seja o primeiro a comentar! postado em Geral |
04/07/2014

“Fritando” a Colômbia

 

Na receita Patacon colombiano são usadas bananas da terra (verde) fritas tradicionalmente é salgado, mas a versão alagoana ganhou açúcar e canela, para a vitória do Brasil ser doce.

Na receita Patacon colombiano são usadas bananas da terra (verde) fritas. Tradicionalmente a iguaria é salgada, mas a versão alagoana, do chef Serginho ganhou açúcar e canela, para a vitória do Brasil ser doce

Com todo respeito aos colombianos, mas para o jogo do Brasil X Colômbia, reforcei o time de chefs, os alagoanos Serginho Jucá e Guga Rocha (já publiquei a receita “comendo Chile” e deu certo). Mas quando Serginho disse que tinha uma receita tradicional dos nossos hermanos , banana, porém era frita, veio logo em mente o título “fritando a Colômbia”.

De novo, mil perdões aos nossos hermanos, eles não têm tradição com a bola, embora nesta Copa, os colombianos estão fazendo bonito, mas a taça é nossa (haja coração). Pois bem, não vou me atrever a escrever sobre futebol para não perder  os meus leitores, então vamos às panelas.

Na gastronomia colombiana tem muita batata, milho, abacate, embora menos picante que os chilenos. Como estou apostando em 2 X 0 para a seleção brasileira, serão duas receitas : Patacon colombiano feito com banana verde do chef Serginho, e Ajiaco, uma espécie de sopa que leva até abacate, pelo Chef Guga Rocha. Ambas não seguem à risca as tradições.

Na receita Patacon colombiano são usadas bananas da terra (verde), que depois de cozidas são amassadas, temperadas com sal, e fritas em óleo quente. Na Colômbia, segundo o chef Sérgio, come-se com molhos salgados, mas a versão alagoana ganhou açúcar e canela, para a vitória do Brasil ser doce.

Já a receita Ajiaco, escolhida  pelo Chef Guga Rocha, é uma sopa, mas a sugestão do nosso chef é preparar como cozido. Os ingredientes são diversos, frango e carne temperados com sal, cominho e folha de louro, e o inusitado é no final, quando for servida entra em cena o creme de leite fresco , abacate e alcaparras.  Bom, a receita mudada pelo Guga tem o tempero necessário para a nossa seleção ganhar mais um jogo, assim como o chef alagoano que faz muitos gols em São Paulo.

Vejam as receitas

Patacon – Chef Serginho Jucá

Ingredientes: 2 bananas verdes, sal, açúcar e canela

1.            Remova a casca de 2 bananas verdes grandes

2.            Corte as bananas em pedaços de aproximadamente 5 centímetros de largura

2.            Corte as bananas em pedaços de aproximadamente 5 centímetros de largura

3.            Amasse com o garfo as bananas cortadas e depois amasse com um prato. Cuidado para não grudar e tempere com sal

3.            Amasse com o garfo as bananas cortadas e depois amasse com um prato. Cuidado para não grudar e tempere com sal.  Coloque para assar no óleo quente até que eles fiquem bem dourados

6.            Retire, coloque no papel toalha. Por fim, coloque no prato as Patacon e polvilhe com açúcar e canela.

 

Comida tradicional colombiana tem a mistura de alcaparras, milho e creme de leite

Ajiaco, comida tradicional colombiana é uma mistura de alcaparras, milho, abacate, batata e creme de leite

 Recita Ajiaco, pelo chef Guga Rocha

Ingredientes

1 colher de sopa de alcaparras/ 1 xícara de chá de creme de leite fresco (ou nata)/ 300 g de carne (coxão mole, patinho) cortada em cubos/2 coxas de frango/1  espiga de milho cortada ao meio/ 1 batata cortada em fatias grossas/ ½ cebola/ 1 abacate sem casca e cortado em fatias finas/ 1 folha de Louro/ 1 pitada de cominho/ 1 colher de chá de tomilho fresco (ou alecrim)/1 colher de óleo de milho / sal e pimenta-do-reino

Modo de preparo

1.    Aqueça uma panela com o óleo e coloque o frango e a carne, e frite até dourar;

2.    Cubra com água e junte a cebola, o louro, o cominho, o tomilho, o sal e a pimenta;

3.    Cozinhe até que as carnes fiquem macias;

4.    Retire os pedaços de frango, retire as peles e desosse, e retorne à panela;

5.    Cozinhe as batatas e o milho separadamente, até que fiquem macios;

6.    Sirva guarnecido com creme de leite, alcaparras e abacate.

Chef Guga Rocha é do time de vitoriosos da gastronomia alagoana, e atualmente, joga bem em São Paulo. É apresentador do programa Homens Gourmet (http://www.foxplaybrasil.com.br/homensgourmet). No site do programa, Guga lembra do seu tempo de músico “Montei uma banda, mas ela não dava dinheiro. Por isso, fui fazer uns bicos em restaurantes, porque a cozinha era algo que eu amava. Ralei muito, lavei muito prato, mas voltava para casa feliz”. Agora, o ex- bom músico é um chef consagrado da gastronomia brasileira . Para saber mais do chef Guga: www.supergourmet.com.br/ www.gugarocha.com.br/ facebook.com/gugarochachef

Chef Guga Rocha é do time de vitoriosos da gastronomia alagoana, e atualmente, joga bem em São Paulo. É apresentador do programa Homens Gourmet (http://www.foxplaybrasil.com.br/homensgourmet). No site do programa, Guga lembra do seu tempo de músico “Montei uma banda, mas ela não dava dinheiro. Por isso, fui fazer uns bicos em restaurantes, porque a cozinha era algo que eu amava. Ralei muito, lavei muito prato, mas voltava para casa feliz”. Agora, o ex- bom músico é um chef consagrado da gastronomia brasileira . Para saber mais do chef Guga: www.supergourmet.com.br/ www.gugarocha.com.br/ facebook.com/gugarochachef

Chef Serginho Jucá, neto da famosa Yêda Rocha, dama da gastronomia alagoana, também apostou e está fazendo muitos gols com seu sócio, o chef Felipe Lacet, no restaurante Sur, sempre surpreendendo os comensais com a criatividade, com os sabores, temperos e aromas alagoanos. Na cozinha dos chefs sempre tem manteiga do Sertão, macaxeira, queijo coalho, batata doce, camarões, lagostas, enfim, uma seleção de primeira para as panelas. Recentemente, eles lançaram o Surburguer, hambúrgueres caseiros, e o almoço executivo (que muda toda semana). Os chefs Serginho e Felipe, dupla de sucesso, sabem fazer gols saborosos na cozinha alagoana. Sur - Rua Professora Maria Esther da Costa Barros, 306/320 - Stella Maris - Telefone  9808.9090

Chef Serginho Jucá, neto da famosa Yêda Rocha, dama da gastronomia alagoana, também apostou e está fazendo muitos gols com seu sócio, o chef Felipe Lacet, no restaurante Sur, sempre surpreendendo os comensais com a criatividade, com os sabores, temperos e aromas alagoanos. Na cozinha dos chefs sempre tem manteiga do Sertão, macaxeira, queijo coalho, batata doce, camarões, lagostas, enfim, uma seleção de primeira para as panelas. Recentemente, eles lançaram o Surburguer, hambúrgueres caseiros, e o almoço executivo (que muda toda semana). Os chefs Serginho e Felipe, dupla de sucesso, sabem fazer gols saborosos na cozinha alagoana. Sur – Rua Professora Maria Esther da Costa Barros, 306/320 – Stella Maris – Telefone  9808.9090

 

Postado às 8:17, Nide Lins 2 comentários postado em Geral |

Arquivos